Capacetes Harley

A Harley-Davidson do Brasil lançou durante o National H.O.G. Rally 2014 sua linha de capacetes. Homologados recentemente no País, essa é a primeira vez que esses acessórios estarão disponíveis para o mercado nacional. Até o fim de maio, os modelos poderão ser adquiridos em todas as 16 concessionárias da marca. São dois formatos: full face e ¾. Ainda existirá uma terceira opção, o modular, que deve chegar à rede de concessionárias ainda neste ano.

O modelo fechado é fabricado em policarbonato, com sistema de ventilação e canalização que libera o calor e a umidade por cima e para fora do casco. Seu revestimento lavável e removível é composto de EPS (poliestireno expandido), auxiliando na absorção de energia provocada por impactos. O modelo ainda é equipado com viseira que oferece proteção de 95% dos raios UV. O preço sugerido para essa versão é R$ 690.

Leia também:
+ Carreta retrátil no Cinquecento carrega Vespa 50
+ Honda oferece aros para reposição de baixa cilindrada

Os capacetes modular e ¾ possuem as mesmas características do formato fechado. Além disso, oferecem sistema Silver Cool™, com tecnologia antibacteriana, que absorve a umidade e evita o surgimento de odores no tecido. Eles ainda possuem viseira equipada com tecnologia one touch, para ser aberta com apenas um dedo, mesmo com luvas. Os preços sugeridos são R$ 1.365 e R$ 940, respectivamente.

-Imagens: divulgação-

Um comentário em “Capacetes Harley

  1. Putz, Harley é Harley, mas comprei recentemente um capacete Zeus (preto-fosco e importado), no mesmo padrão de qualidade (inclusive a viseira fumê é melhor) pelo justo preço de R$ 270,00.
    E não venham me dizer que “ah, compra quem tem e pode”, pois eu tenho e posso. O que me deixa triste é o fato de que no mercado automotivo brasileiro vale a regra ditada pelos comerciantes e que pouca gente sabe (ou atenta) e que é bem assim: “Vamos ver até onde eles se dispõem a pagar!” e isso está errado. Não há nada em um capacete (igual a um de 270) que o faça valer 1000 reais). Esse papo de dizer que no Brasil os impostos e os encargos trabalhistas são a justificativa para os preços aqui praticados não cola. É esse “Vamos ver até onde eles se dispõem a pagar!” que explica o mesmo carro custar 50 mil no Brasil e 27 mil na Argentina. Vamos diminuir a margem de lucro (ganância) gente! Fazendo isso vocês irão vender mais e lucrar mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *