Esqueça a Hornet

Esqueça a Hornet. Lançada para entrar no lugar da 600 que deixou o mercado por não mais atender as exigências de controle de poluição, a “substituta” CB 650F veio para ficar. A nova tem menos cavalos no motor mas é mais eficiente e divertida. Motomovimento avaliou o novo modelo do segmento média cilindrada da Honda no trânsito da cidade de São Paulo e em estradas estaduais paulistas. A agilidade da 650 se destaca nos dois ambientes.

Na movimentação urbana, a 650F, com seus 192 kg ou 194 kg com ABS no peso seco, é ágil como um modelo urbano de 125 ou 150 cc. Leve, com pneu dianteiro 120/70 e traseiro 180/55, o modelo avança em corredores apertados e principalmente “desenha” muito bem nos os espaços entre os carros parados no trânsito pesado da capital paulista. Mesmo com suas dimensões de 2.110 x 755 x 1.120 mm de comprimento x largura x altura, respectivamente mantém o ritmo no cenário urbano.

Um termômetro da agilidade de uma moto, na cidade de São Paulo, é a interação com motoboys. Muitos pararam ao lado da CB para perguntar sobre a moto. Quando motoboy faz isso é porque ele já está acompanhando o comportamento da moto no trânsito alguns minutos antes da abordagem. Alguns ultrapassam o modelo de interesse, esperam serem ultrapassados para depois perguntar sobre o que consideram bom para trabalhar nas entregas com maior eficiência.

Leia também:
+ Teste: Honda CBR 650F
+ Teste: Desfilando com a CTX 700N
+ A agilidade da roadster Triumph Street Triple 675
+ O comportamento eletrônico da BMW S 1000 R
+ Speed Triple 1050 empolga

Nas estradas, a moto continua oferecendo segurança nas curvas e tem ainda um bom destaque para o espaço do banco para o piloto. A altura é de 81 cm do solo. É ergonômico, macio e possibilita manter longas distâncias sem esforço. Já para a garupa, apesar do bom tamanho, a rabeta curta não deixa espaço para o acompanhante apoiar uma mochila pesada para ficar mais relaxado. Também fazem falta barras de segurança como alças. No modelo, esse item foi trocado por espaço sob o assento.

Com o desenvolvimento tecnológico das montadoras e as necessidades mercadológicas para atrair mais público para cilindradas mais altas, as motocicletas hoje oferecem potência mais equilibrada, linear e progressiva, sem sustos para os pilotos menos experientes. Essa certamente pode ser considerada uma “diferença” entre a Hornet e a CB 650F

Com motor DOHC, 4 cilindros, 4 tempos, arrefecido a líquido, de 649 cc, a 650F, potência máxima 87 cv a 11.000 rpm e torque máximo 6,4 kgf.m a 8.000 rpm, a docilidade da CB é visível na comparação. Mas isso deixa ainda o novo modelo mais econômico tanto na cidade quanto na rodovia, principalmente na tocada mais suave da moto. O tanque é compacto o que ajuda no encaixe das pernas e tem capacidade para 17,3 litros. Dá para fazer, na tranquilidade, cerca de 20 Km com um litro de gasolina.

O painel e simples, e totalmente digital com velocímetro, odômetros total e dois parciais, indicadores de temperatura e nível de combustível e relógio. Os preços sugeridos são: Preto R$30.378, preto (ABS) R$32.683, e tricolor (ABS) R$33.207.

-Imagens: Motomovimento-

8 comentários em “Esqueça a Hornet

  1. A HONDA SIMPLISMENTE, NAO RESPEITA O CONSUMIDOR BRASILEIRO,LUTEI PARA COMPRAR UMA HORNET E UM MES DEPOIS SAI DE LINHA, QUE VERGONHA, MAS O CULPADO SOMOS NÓS MESMOS QUE VAMOS COMPRAR OS PRODUTOS.

  2. sei lá parece uma CG grande…. a moto tinha que ter banco bipartido… mas honda é isso… jura de pé jundo que o brasileiro é consumidor mais idiota do mundo e é mesmo ao reverenciar uma marda que diminui a qualidade do produto…. ou produz algo velho que o resto do mundo nao quer mais… a yamaha está com produtos mais modernos e mais baratos…

  3. A Honda está regredindo. Tira uma moto forte de 102 CV e coloca uma de 87 CV e mais cara. Agora, para penalizar quem comprou a tal da CB500 A, B, C, D ,E, X,Y, Z ……ela abaixa o preço das encalhadas. A mudança nas recém lançada CB650 também foi porque não estavam vendendo nada. É só esperar e haverá liquidação delas também.

  4. a hornet 106 hp era uma moto espetacular…isso aí foi um downsizing da honda pra não ofuscar a CB 1000 e outras motos de maior CC. Fica difícil convencer alguém a comprar uma 1000 quando uma 600 faz quase igual.

  5. Tem gente reclamando de boca cheia. Ora, quem consegue extrair 100% de uma Hornet? Menos de 10% desses proprietários. É uma estupidez achar que na Hornet, o cara dava pau e etc. Oras, toma cada caldo de dono de XJ e Bandit 650, mais fracas, mas cujos caras se forem bons, dão canseira nos horneteiros, e nós vimos isso ao longo desses anos.
    Vários boyzinhos aqui perto de casa comiam poeira(como tantos país afora), kkkkkkkkk!
    A nova 650 é mais estradeira, menos arisca, vão apanhar menos. É uma motona, cheia de qualidades.

    1. Concordo com você. Povo acha que moto é só CV. Pode reparar que todos que reclamam, só falam do fato da Hornet ter mais de 100 cv e a CB650 baixou pra 87

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *