Fabricação de motocicletas

A fabricação de motocicletas recuou 35,9% em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando saíram das linhas de produção 110.823 motos. Na comparação de fevereiro com janeiro de 2016 a queda foi de 6,5% totalizando 71.057 unidades no mês passado, ante 75.959 registradas em janeiro. Os números são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) divulgados hoje (08/03).

Apesar do crescimento de 24,3% nas vendas no atacado – das fábricas para as concessionárias – em fevereiro, em comparação ao mês anterior, passando de 58.801 para 73.079 unidades, os números apresentaram queda de 32,7% em relação a fevereiro de 2015, quando foram comercializadas 108.637 unidades.

“Vale lembrar que em fevereiro celebramos o Carnaval, o que explica a queda na produção em relação ao mês de janeiro. Porém, o mercado de motocicletas, assim como outros setores da economia, é impactado pelo atual cenário de instabilidade política e econômica do País, atrelada à falta de confiança do consumidor. Desta forma, não descartamos a necessidade de uma revisão nas projeções do setor para 2016”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Leia também:
+ Teste Indian Chief Classic e Chief Vintage
+ Teste MotoMovimento: Indian Scout é ágil na pista
+ Encontros e eventos para motociclistas de julho de 2016
+ Honda apresenta versão 2016 da XRE 300
+ Suzuki chama recall para 12 modelos da marca
+ Produção de motocicletas cai 37,8% em janeiro de 2016
+ Yamaha define preços para YZF-R1 e YZF R1-M no Brasil

As exportações de fevereiro totalizaram 5.692 motocicletas, o que representa uma alta de 70,6%, em relação a janeiro, e expressivo crescimento de 128,5%, em comparação com o mesmo mês de 2015. Os resultados refletem principalmente a viabilização de mais negócios na Argentina.

Média diária de vendas

No varejo, foram vendidas 74.404* motocicletas, o que representa um recuo de 5,3% ante o volume de janeiro, com 78.538 unidades e de 20,7% em relação a fevereiro de 2015 (93.806).

Mesmo com um dia útil a mais que no ano passado (20 dias), a média diária de vendas apresentou queda de 24,6%, passando de 4.937 para 3.720 motocicletas – o menor índice desde março de 2005, que havia registrado 3.729 unidades/dia.

(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *