Furtos e roubos de motos em São Paulo

O Estado de São Paulo registrou 9.569 roubos e furtos de motocicletas, nos três primeiros meses de 2017. Em março foram 3482 eventos, média de quatro ocorrências por hora. Os dados estão no Boletim Econômico Tracker-Fecap, com base nas informações disponíveis no site da Secretaria de Segurança Pública. Janeiro registrou 3109 roubos ou furtos e fevereiro 2978, de acordo com a análise. (Veja tabelas abaixo)

As motocicletas representaram cerca de 20% do total dos boletins de ocorrência registrados na categoria de roubo e furto de veículos. Analisando o comportamento dos bandidos em março, quando se trata de roubo, o horário preferido para praticar o crime é à noite (50,03%), seguido da tarde (18,14%), manhã (15,98%) e madrugada (15,70%). Já os furtos apresentaram um cenário diferente, apesar de a maioria também ter sido cometido à noite (29,77%), o segundo horário com mais ocorrências foi pela manhã (22,69%), seguido da tarde (20,20%) e de madrugada (17,28%).

A cidade de São Paulo lidera o ranking de roubo e furto no estado. Na categoria furto, os municípios que vêm em seguida são predominantemente do interior, com destaque para a região de Campinas; enquanto os roubos predominaram no ABC e proximidades. “Há uma grande incidência de roubo de motos de alta cilindrada em regiões próximas a rodovias com acesso ao litoral e interior do estado, principalmente entre a cidade de São Paulo e municípios vizinhos à capital, como a região do ABCD. Nos fins de semana e feriados aumenta o número de evento”, afirma o gerente de Operações do Grupo Tracker, Rodrigo Boutti.

Ao analisar a capital de São Paulo, o que chama a atenção é que, diferente do Estado, a maioria dos furtos ocorreu de manhã (36,80%).

Entre os 10 bairros com maior registro de furto, cinco estão na Zona Sul da capital, três no Centro, e dois na Zona Oeste. No caso de roubos, a predominância foi na Zona Leste, com seis bairros entre os 10 que registraram mais boletins, seguida pela Zona Oeste. “Os furtos ocorrem quando os proprietários estão trabalhando ou estudando e suas motos estacionadas. E boa parte dos estabelecimentos de ensino e escritórios ficam na Zona Sul”, diz Boutti.

Ele acrescenta ainda que, de acordo com o banco de dados do Grupo Tracker, a Zona Leste é a região onde acontece o maior número de recuperações, cerca de 40% do total. “A tendência é que as motos sejam roubadas e levadas imediatamente para desmanches, por isso as regiões com maior número de desmanches também tendem a ser as regiões com maior índice de recuperações”, observa.

Os modelos mais roubados e furtados também foram analisados. Segundo o gerente de Operações do Grupo Tracker, as motos de baixa cilindrada representam uma parcela maior das ocorrências, pois, proporcionalmente, são os modelos mais vendidos. “Desta forma, grande parte dos roubos acaba alimentando a indústria de desmanches, principalmente na região da Grande São Paulo, por conta da alta procura por peças”, diz.

Boutti alerta ainda que muitas destas motocicletas são utilizadas por bandidos em roubos de modelos de performance mais elevada. O gerente de Operações do Grupo Tracker destaca também a curiosa aplicação dada por alguns bandidos às motos roubadas. “Nas regiões periféricas da capital é muito comum, hoje em dia, a realização de bailes funks, os famosos ‘pancadões’. Muitas motos de alta performance, roubadas ou furtadas, são utilizadas pelos bandidos como uma forma de ostentação neste tipo de evento. Grande parte é abandonada ou mesmo destruída ao término dos bailes”, disse.

Leia também:
+ Festas, encontros e eventos para motociclistas de novembro de 2017
+ Teste: Honda CB 500X é moto para todo serviço
+ Mercado de motocicletas tem vendas estáveis em abril
+ BMW amplia linha de miniaturas colecionáveis da marca
+ BMW lança nova R 1200 GS em duas versões: Sport+ e Premium+
+ Honda lança financiamento especial para a Africa Twin
+ BMW Brasil lança hotsite para pré-venda da G 310 R

O Boletim Tracker-Fecap é resultado da parceria entre o Grupo Tracker – maior empresa de rastreamento e localização de veículos do Brasil – e a Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) – referência na área de Gestão de Negócios. Nele, analistas traçam um panorama detalhado do mercado do crime no Estado de São Paulo. “Como a SSP-SP divulga apenas os dados gerais de roubo e furto de veículos, decidimos fazer uma análise mais profunda das informações disponíveis, segmento por segmento, para trazer para a população um cenário mais real”, afirma o coordenador do Núcleo de Estudos da Conjuntura Econômica (NECON), Erivaldo Costa Vieira.

Tabelas

No Estado

Período de Ocorrência Roubo Motos Estado SP – março
Noite 50,03%
Tarde 18,14%
Manhã 15,98%
Madrugada 15,70%
Hora incerta 0,14%

Período de Ocorrência Furto Motos Estado SP – março
Noite 29,77%
Manhã 22,69%
Tarde 20,20%
Madrugada 17,28%
Hora incerta 10,05%

Furto Motos Estado de São Paulo – março
São Paulo 27,72%
São José do Rio Preto 3,07%
Campinas 2,93%
Sorocaba 2,49%
Ribeirão Preto 2,39%
Santos 2,29%
Catanduva 2,05%
Piracicaba 1,95%
Santo André 1,85%
Hortolândia 1,81%

Roubo de Motos Estado de São Paulo – março
São Paulo 39,64%
Osasco 5,58%
Diadema 4,82%
São Bernardo do Campo 4,33%
Guarulhos 3,91%
Campinas 3,77%
Santo André 3,56%
Ribeirão Preto 2,30%
Itaquaquecetuba 1,88%
Mauá 1,67

Capital

Período de Ocorrência Furto – cidade São Paulo – março
Manhã 36,80%
Noite 22,89%
Tarde 21,65%
Madrugada 10,39%
Hora incerta 8,27%

Período de Ocorrência Roubo – cidade São Paulo – março
Noite 45,77%
Madrugada 19,19%
Tarde 17,61%
Manhã 17,25%
Hora incerta 0,18%

Furto Motos Cidade de São Paulo – março
Vila Mariana 5,28%
Itaim Bibi 4,40%
República 4,05%
Santo Amaro 3,70%
Barra Funda 3,35%
Campo Grande 3,35%
Bela Vista 2,99%
Jabaquara 2,82%
Pinheiros 2,64%
Liberdade 2,64%

Roubo de Motos cidade de São Paulo – março
Brasilândia 4,93%
Iguatemi 4,40%
Lajeado 4,23%
Itaquera 3,52%
Raposo Tavares 3,52%
Jaraguá 3,52%
Cidade Tiradentes 3,35%
Freguesia do Ó 2,82%
Guaianases 2,82%
Capão Redondo 2,46%

Roubo e Furto – Estado de SP – marcas e modelos mais roubados ou furtados – março
Honda CG 150 Titan KS 9,21%
Honda CG 125 Fan 7,95%
Honda CBX 250 Twister 7,91%
Honda CB 300R 7,08%
Honda CG150 Fan ESDI 6,86%
Honda XRE 300 6,82%
Honda CG 125 Fan KS 6,56%
Honda CG 160 Fan ESDI 5,78%
Yamaha Fazer YS 250 5,47%
Honda CG 150 Fan ESI 4,69%
Honda CG 125 Titan KS 4,52%
Honda CG 150 Titan ESD 3,65%
Honda CG 125 Fan ES 2,78%
Honda CG 125 Titan 2,78%
Honda NX-4 Falcon 2,69%
Honda CG 150 Titan EX 2,65%
Yamaha YBR 125 2,04%
Honda CG 150 Titan ES 1,74%
Honda CG 125 Titan ES 1,69%
Suzuki EN125 Yes 1,65%

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *