Harley super tuners

A Harley-Davidson vai depositar US$ 12 milhões em multas e retirar do mercado norte-americano acessórios denominados super tuners para seus modelos. Os equipamentos aumentam a potência das motocicletas. De acordo com o governo norte-americano, as peças também aumentam a poluição do ar pelas motos para além do permitido naquele país.

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, a marca vendeu cerca de 340 mil super tuners, em pós-venda, desde 2008. A empresa também vai depositar outros US$ 3 milhões que serão direcionados para projetos de despoluição do ar.

Os super tuners sairão das revendedoras da montadora nos EUA a partir de 23 deste mês. A marca também terá que recolher todas peças em estoque e destruí-las.

Leia também:
+ Salão das Motopeças abre em São Paulo com empresários otimistas diante da crise
+ Kawasaki apresenta linha off road 2017
+ Dafra tem bônus de fábrica para Cityclass 200i e Fiddle III
+ Harley-Davidson tem promoção para linha 2016 até 31 de agosto
+ Linha 2017 CG 160 Titan e CG 160 Fan tem novas cores e grafismos
+ BMW R nineT Scrambler 2016 tem preço definido na Alemanha
+ Linha 2017 Indian Motorcycles tem novas cores e central de multimídia com GPS
+ BMW oferece novas tecnologias para os modelos BMW R 1200 GS e R 1200 GS Adventure
+ Honda lança CBR 250RR na Indonésia
+ Harley-Davidson convoca recall para os modelos Touring Electra Glide Ultra Limited e Street Glide Special
+ Teste: Honda XRE 300 Rally é trail perfeita para uso na cidade

A montadora norte-americana informou em nota que acata a decisão do governo mas que a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos ou Environmental Protection Agency (EPA), que requereu a ação do governo, está equivocada e que os acessórios super tuners são vendidos exclusivamente para uso em competição.

“Este acordo não é uma admissão de responsabilidade, mas sim representa um compromisso de boa fé com a EPA em áreas do direito que interpretar de forma diferente, especialmente a afirmação de EPA que é ilegal para qualquer um para modificar um veículo certificado mesmo que será utilizado exclusivamente para competição off-road ou em circuito fechado”, disse Ed Moreland, diretor de assuntos governamentais da Harley-Davidson, em um comunicado.

A EPA também afirma que a Harley-Davidson colocou no mercado outras 12.600 motos sem certificação da agência de proteção ambiental entre 2006 e 2008.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *