Honda domina pódio do Piocerá

A Equipe Honda faturou as três primeiras colocações da categoria Master (principal) das Motos na edição de 30 anos do Enduro Rally Piocerá. Tunico Maciel foi o vencedor, Dário Júlio ficou em segundo e Túlio Malta com a terceira colocação.

A quarta e última etapa da prova foi realizada neste sábado (28/01), entre as cidades de Sobral e Caucaia, ambas no Ceará. Até a penúltima parte da competição, Dário era o líder, mas Tunico teve um desempenho impecável no trecho final e superou o companheiro e chefe de equipe.

“Estou muito satisfeito e feliz. Foi o resultado de um grande trabalho e uma pré-temporada bem feita. Larguei hoje precisando fazer dois primeiros lugares e o Dário de um segundo e um terceiro lugares para levar o título. Terminei com um segundo e um primeiro, e ele em terceiro e quarto. Com isso, eu consegui a vitória e a Honda faturou as três primeiras colocações”, disse Tunico.

Dário Júlio festejou o desempenho do trio. “O Piocerá foi muito disputado, e ocorreu uma disputa em casa, o que foi o mais legal e me deixou muito satisfeito como chefe de equipe. Isso prova que estamos muito bem também na modalidade enduro de regularidade, que somos competitivos e que as nossas motos continuam competitivas. O Tunico venceu de forma brilhante, ele abriu a prova no último dia, navegou muito bem e venceu merecidamente. O Túlio chegou agora na equipe e mostrou que a Honda CRF 230 é competitiva”, afirmou.

O estreante Túlio Malta comemorou muito a primeira conquista pela Honda, “O Piocerá foi bom demais. Andamos em algumas trilhas sensacionais. Foi tudo muito positivo. Hoje, ganhei a primeira parte da prova e fiquei em segundo no dia. Iniciei meu trabalho na Honda com o pé direito, fizemos tudo da maneira certa, todos desempenharam bem os seus papéis e agora vamos pensar nas próximas”, afirmou.

Nos quatro dias de disputas, os pilotos percorreram quase 1.000 quilômetros de trilhas, desde a largada em Teresina (PI) até a chegada em Caucaia (CE).

Classificações

Nas demais categorias das Motos, Lenilson Viana foi o vencedor na Sênior, Luiz Lobão (Executivo), Sandro Hoffamnn (Over 40), José Roberto Cunha (Over 50), Carlos Estevam Rebelo (Junior), Patrick Carneiro (Novatos) e Bruno Pereira Neves (Moto Rally).

Nos carros, os campeões foram Paulo Goes e Jonathan Ardigo (Master), Maycon Gomes Soares e Daniel Rocha Rodrigues (Graduados), André Carvalho e André Carvalho Filho (Junior), Paulo Renato Andrade e Thiago Alves Feitosa (Turismo).

Nos UTVs, a dupla Lucas Barros/Breno Rezende faturou o título da Graduados e Márcio Assunção de Sousa/Davi Cavalcante, da Novatos. Nos quadriciclos, Artur de Carvalho Junior foi o vencedor da Graduados e Diego Domingos Pontes, da Novatos.

O catarinense Paulo Goes elogiou o Piocerá e destacou as diferenças de clima e terrenos como principais adversários para a conquista do primeiro título do Piocerá. “O primeiro dia foi muito diferente, pois somos do Sul e não tínhamos contato com o tipo de piso da região Nordeste. A partir do segundo dia, começamos a nos adaptar também ao clima. Agora, não deixarei mais de participar do Piocerá”, afirmou o piloto, quem em 2016 chocou-se com um coqueiro e abandonou a prova no último dia.

Na categoria moto rally, a cearense Lia Cordeiro de Alencar, a Bacurinha, foi um dos destaques. “O Piocerá é uma das melhores provas do Brasil. Estão todos de parabéns. Nunca deixarei de participar”, afirmou.

Bicicletas

O mineiro José Gabriel Marques de Almeida e a cearense Venilda Eli foram os campeões da edição histórica de 30 anos do Piocerá na categoria bikes. O vencedor tem como objetivo disputar a Olimpíada de Tóquio em 2020. Para finalizar os quatro dias de disputa, os bikers percorreram um circuito pela Praia do Cumbuco, em Caucaia (CE). Foram pouco mais de 50 quilômetros.

José Gabriel, campeão brasileiro de mountain bike em 2016, tem como meta para esta temporada melhorar sua classificação no ranking internacional. “O Piocerá foi um excelente teste para as competições internacionais que devo estar focado neste ano. Estou muito feliz, pois vim sem perspectivas de resultados e consegui ser campeão. Esse resultado de destaque, não só meu, mas como dos companheiros de equipe, mostrou como vai ser a temporada da equipe da Audax”, afirmou.

Leia também:
+ Yamaha lança, na Índia, nova naked 250cc que pode substituir a Fazer 250 no Brasil
+ Ducati abre pré-lançamento da 1299 Superleggera por R$ 550 mil
+ Calendário MotoMovimento para festas, encontros e eventos de março de 2017
+ Teste de longa duração: CB Twister 2017
+ Teste: Honda CB Twister surpreende no uso urbano
+ Honda XRE 300 2017 tem novas cores e grafismos
+ Triumph Street Triple vai de 675 para 765cc
+ Polaris anuncia encerramento das atividades da Victory

Participando pela terceira vez do Piocerá, outro mineiro, Daniel Zoia, conquistou segunda posição. Ano passado, ele foi campeão na categoria Elite. “O rali foi apenas a primeira. Vim em busca do bicampeonato, mas infelizmente não foi possível. O objetivo da equipe foi conquistado que era ter o primeiro e o segundo lugar no pódio. Estou bastante feliz com o resultado”, disse.

Na elite feminina, o destaque foi para a cearense Venilda Eli. “É minha primeira vez no Piocerá e com esse título vou correr em busca de pontuar ainda mais”, disse a atleta.

Joana Eleonora conquistou seu terceiro título do Piocerá, agora na categoria Master. “O Piocerá deste ano foi uma prova muito bem planejada e se firma no ciclismo nacional com grande participação feminina”, destacou a atleta.

Tetracampeão

Lucas Barroso e a família de veículos Can-Am Maverick confirmaram neste sábado (28) o quarto título consecutivo dos UTVs no Rally Piocerá. A bordo do novo Maverick X3 X RS, o piloto cearense comemorou o feito em casa, na chegada em Caucaia, região metropolitana de Fortaleza. Ele superou mais de 900 quilômetros e quatro dias de desafios na edição de 30 anos do evento de regularidade. “A equipe Terrabella Racing ajudou muito na conquista, assim como o parceiro Breno Rezende, que foi 100% na navegação. Outro fator fundamental foi o UTV, que é simplesmente incrível”, comentou Barroso.

A dupla competiu com o Maverick X3 X RS original de fábrica. “O UTV oferece ângulo de pilotagem que não cansa as pernas e os braços, sistema de suspensão inovador e muita potência e controle. O veículo está em um patamar superior no segmento dos UTVs, sem dúvidas não há nada parecido”, garantiu. “O roteiro foi muito difícil, cheio de pedras e pegadinhas na navegação. Exigiu bastante dos pilotos, navegadores e equipamentos”, continuou.

Para chegar ao tetra, foi necessário fazer prova de recuperação diante de um grid repleto de competidores experientes. “Tivemos problemas com o aparelho de navegação no primeiro dia e começamos em quarto lugar. Para vencer, tínhamos que ganhar os outros três dias de disputas. E foi o que fizemos. A virada foi diante de concorrentes fortes, entre eles o navegador Lourival Roldan, campeão recentemente no Rally Dakar – o que valorizou ainda mais o título”, concluiu.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *