KX450 2019

São Paulo (SP) – A Kawasaki lançou a KX450 2019 com novo motor de 449 cm³ e chassi mais leve e rígido. Está nas concessionárias por R$ 43.990. Outras novidades da versão incluem partida elétrica e embreagem de acionamento hidráulico. Estão mantidos o controle de largada e a seleção de três mapas na ECU, que podem ser reprogramados escolhendo entre os modos standard, hard e soft ou com o uso do kit de calibração.

Para a adição de recursos como a partida elétrica, a moto perdeu 850 g foram retirados do chassi e componentes, enquanto outros 930 g foram removidos de motor, admissão e exaustão. No total o modelo 2019 soma 109 kg em ordem de marcha. Suspensões, freios e ergonomia também foram aprimorados.

O novo chassi perimetral de alumínio é uma evolução do projeto anterior com rigidez revisada e uso do motor como parte estrutural. Trata-se de uma composição de peças forjadas, extrudadas e fundidas em busca do balanceamento ideal de peso e rigidez. O novo braço oscilante também contribui para a rigidez e melhoria da tração.

O eixo dianteiro de maior diâmetro (20 mm para 22 mm) é o mesmo dos times de competição de fábrica, enquanto a suspensão traseira reprojetada com novo link e mais curso beneficia a tração atrás. O novo garfo dianteiro de 49 mm tem o mesmo diâmetro dos tubos também das equipes de competição, maior e que permite o uso de pistões também maiores para o amortecimento. Amortecedor traseiro do modelo 2019 permite dois ajustes de compressão separadamente, para amortecimento de baixa e alta velocidade. O disco de freio traseiro semi-flutuante foi aumentado de 240 mm para 250 mm de diâmetro e recebeu novo cilindro-mestre dianteiro.

Leia também:
+ Promoções para novembro das marcas Harley-Davidson, BMW e Kawasaki
+ Produção de motos mantém crescimento em outubro
+ Ducati Panigale V4 R é novidade no Salão de Milão (EICMA) 2018
+ Teste: Harley-Davidson Fat Bob e o torque do Milwaukee-Eight 107
+ BMW chega a 50 mil unidade montadas em Manaus (AM)
+ SuperBike Brasil apresenta o calendário para 2019
+ Royal Enfield Himalayan 400. No Brasil em janeiro de 2019
+ Linha Harley-Davidson 2019 tem três novos modelos
+ BMW prepara participação especial para o Concorso d’Eleganza Villa d’Este 2019
+ MV Agusta F4 Claudio. Homenagem a Claudio Castiglioni
+ Eric Granado disputará FIM Enel World Cup em 2019
+ MXF Motors atualiza o modelo RX 250cc de 4 tempos

O motor eleva a potência máxima em 3,4 cv, enquanto a curva de torque mais plana torna as acelerações ainda mais suaves. Admissão, comando, válvulas, pistão e exaustão também foram revisados para melhor performance, segundo e montadora. Atuadores de válvula do tipo finger-follower (“balancim seguidor”), originalmente projetados por engenheiros da Kawasaki nos mundiais de Superbike e MotoGP, permitem o uso de válvulas de titânio de maior diâmetro e cames de perfil mais agressivo.

As válvulas de admissão tiveram diâmetro aumentado de 36 mm para 40 mm e as de exaustão de 31 mm para 33 mm, com maior deslocamento. O peso do conjunto comando/válvulas foi reduzido. Admissão redesenhada, elemento mais fino para filtragem de ar, válvula do acelerador com diâmetro elevado de 43 mm para 44 mm e adoção de injetores com capacidade aumentada em 20% também ajudam a alcançar maior potência.

O pistão tem o mesmo desenho usado nas motos da equipe de fábrica no Mundial de Motocross, que resulta em mais resistência e menos peso (de 259,8 g para 243 g). Atrito reduzido pela adoção de bronzinhas também contribui para o ganho de potência. O coletor de escapamento alongado (590 mm para 695 mm) favorece as respostas ao acelerador em baixas rotações.

A moto permite quatro posições de ajuste do guidão Renthal: 25 mm à frente, 15 mm à frente, standard e 10 mm atrás. As pedaleiras estão 5 mm mais largas e foram reposicionadas 3 mm atrás; podem ser ajustadas 5 mm mais baixas.

No design novo foi criado para facilitar a movimentação do piloto com tanque mais baixo e plano, possível graças à bomba de gasolina reprojetada para ficar mais compacta, o que facilita o posicionamento à frente. Aletas mais estreitas e próximas do chassi também auxiliam as pernas a se firmarem.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *