Lançamento CB 650R e CBR 650R

São Paulo (SP) – Com pré-venda desde o início de fevereiro e previsão de chegar às lojas em março, a Honda lançou oficialmente hoje (08), em apresentação virtual, os modelos CB 650R e CBR 650R 2020. A pandemia atrasou somente a apresentação. O preço sugerido agora é R$ 39.416 para a CB 650R e R$ 41.080 para a CBR 650R, ambos base Estado de São Paulo. A cores disponíveis para a CB são azul perolizado, vermelho e prata metálico. A CBR tem vermelha e cinza metálico.

Na pré-venda, com preço cerca de R$ 2 mil menor que o atual, foram comercializadas 300 motos vendidas 70% CB e 30% CBR. Até o final de julho, toda a rede estará abastecida com os novos modelos da linha CB 650. De acordo com o diretor comercial da empresa, Alexandre Cury, a variação cambial foi determinante no reajuste de preços.

Os novos modelos CB 650R e CBR 650R estão quatro quilos mais leves que suas versões anteriores. A Honda CB 650R 2020 segue plenamente o conceito trazido pela CB 1000R Neo Sports Café, que mescla design minimalista com a agressividade típica das café racer, fator este explicitado pela substituição do sufixo “F” pelo “R”, que desde sempre designa as Honda de verdadeira inspiração esportiva. Já a CBR 650R 2020 tem nas formas de sua carenagem uma clara identidade com a superesportiva de referência da Honda, a Fireblade. Além disso, a CBR 650R também segue o conceito “Total Control”, e mesmo com a troca do “F” pelo “R” no nome segue sendo uma sport-touring acessível para usuários de diferentes níveis, satisfazendo desde os mais experientes a novatos que desejam evoluir na pilotagem.

Elementos em comum a estas duas Honda 650 são motor e chassi. O tetracilindro DOHC arrefecido a líquido é dotado de câmbio de seis marchas com embreagem assistida, deslizante e sistema HSTC – Honda Selectable Torque Control. O chassi tubular de aço segue a arquitetura tipo Diamond, com a zona da fixação do eixo da balança realizada em aço estampado e não mais em aço forjado, o que resultou em uma economia de peso de 1,9 kg se comparado com o chassi da “F.

A atualização técnica do motor que equipa a CB 650R e CBR 650R teve por objetivo oferecer desempenho mais esportivo aos modelos. Deste modo, o tetracilíndro DOHC de 16 válvulas e exatos 649 cm3 recebeu alterações que visaram aumentar a entrega de potência em médias rotações. A potência máxima é de 88,4 cv à 11.500 rpm o torque é de 6,13 kgm.f a 8.000 rpm.

O sistema de admissão de ar da CB 650R é composto por duas tomadas de ar situadas ao lado do tanque. Na CBR 650R, as tomadas de ar – também duplas – estão situadas na parte frontal da carenagem. Em ambas, a caixa do filtro de ar foi modificada em relação às “F”, alteração que é, em parte, responsável pelas características de entrega de potência otimizadas. Outra modificação relevante é a majoração dos coletores de escape, cujos tubos passaram de 35 para 38,1 mm de diâmetro, com o intuito de atender os maiores níveis de potência e rotação máxima.

A embreagem agora é do tipo deslizante, o que, segundo e montadora, previne repentinas perdas de aderência da roda traseira no caso de reduções de marcha extremas, frequentes na pilotagem esportiva. O acionamento da embreagem se vale de assistência, que reduziu em 12% o esforço necessário para o acionamento da alavanca.

O sistema de controle de tração HSTC – Honda Selectable Torque Control -, se encarrega de conter eventuais perdas de aderência do pneu traseiro em situações de forte aceleração. Tal dispositivo proporciona tranquilidade para a pilotagem em pisos de baixa aderência. Pilotos experientes podem optar pela desativação do controle de tração através de um botão situado no punho esquerdo.

As Honda CB 650R e CBR 650R compartilham um chassi tubular de aço tipo Diamond, que difere daquele usado nas “F” principalmente na região do eixo da balança de suspensão traseira, alteração que resultou em economia de peso de exato 1,9 kg. As traves que sobem em direção guidão também tiveram sua especificação modificada, estando mais flexíveis na região central e mais rígidas na conjunção com a coluna de direção. Tal alteração foi motivada pela introdução de uma nova suspensão dianteira, a Showa SFF do tipo invertido. Suspensões invertidas tem como vantagem a redução do peso não suspenso.

A sigla SFF vem de “Separated Function Fork”, que remete à tecnologia que separa as funções entre as bengalas, na qual uma age como amortecedor de dupla ação e outra como mola. A suspensão traseira tem um conjunto mola-amortecedor regulável na pré-carga da mola em sete posições, trabalhando vinculado diretamente a balança de suspensão traseira assimétrica.

Nos freios, o sistema ABS antitravamento atua no par de discos dianteiros tipo flutuante através de cálipers de quatro pistões fixados radialmente. O disco traseiro se vale de cáliper de pinça simples. Novas também são as rodas, mais leves, com cinco raios duplos que calçam pneus de medidas 120/70-ZR17 na dianteira e 180/55-ZR17 na traseira.

Leia também:
+ Kawasaki lança a Z900 versão 2021
+ Arte Sobre Tanques. Ação social Harley-Davidson
+ Salão de Milão é adiado para 2021
+ Recall Kawasaki para Ninja ZX-10R e Ninja ZX-10R SE modelos 2020
+ Dicas Harley-Davidson para manter a correia de transmissão
+ Monster 1200S tem nova cor preta
+ Scooter elétrico espanhol MÓ eScooter
+ Ducati conclui montagem da unidade número um do modelo Superleggera V4
+ MotoGP define calendário 2020

A posição de pilotagem de ambas foi revista em relação às precedentes “F”: na CB 650R, o guidão foi avançado em 13 mm e está 8 mm mais baixo, alterações que foram complementadas pela elevação das pedaleiras em 6 mm e recuo de 3 mm. O resultado é um posicionamento mais esportivo e coerente com a proposta Neo Sports Café. A CBR 650R também recebeu medidas diferentes na posição de pilotagem, com os semi-guidões avançados em 30 mm e posicionados de maneira a permitir ao piloto aproveitar confortavelmente a proteção oferecida pela bolha para-brisa.

Um dispositivo de segurança suplementar equipa a CB 650R e CBR 650R: trata-se do Emergency Stop Signal, que reconhece frenagens de emergência em velocidades superiores a 56 km/h e, através de sensores do módulo do ABS, aciona automaticamente o pisca-alerta.

Clique – AQUI – para o PDF com as especificações técnicas dos modelos

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *