Mercado de motos em queda

O primeiro semestre desse ano apresentou queda de 8,4% na produção de motos brasileira em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), divulgado hoje (16/7), nos primeiros seis meses de 2014 foram produzidas 769.613 motos, contra 839.945 unidades no mesmo período de 2013.

Ainda de acordo com o levantamento, o acumulado das vendas no atacado – das montadoras para suas concessionárias – apresentou queda de 12,2%, quando comparado a 2013. Foram comercializadas 716.814 motocicletas frente a 816.462 unidades no primeiro semestre do ano anterior. Diante dos sinais de instabilidade, a Abraciclo refez suas projeções para o fechamento do ano, prevendo possível queda de 3%, tanto para a produção quanto para as vendas no atacado. Apesar disso, a representantes de dez das 16 montadoras de motocicletas instaladas no Brasil, acredita em uma pequena recuperação de perdas (não ganhos, mas menos perdas), com o fim da Copa do Mundo de Futebol. “A segunda quinzena do mês parece começar melhor, apesar da ressaca da Copa”, disse o presidente da Abraciclo, Marcos Zaven Fermanian.

Leia também:
+Para Fenabrave, queda foi de 4,08% nos períodos comparados

Já na comparação mensal, a retração é ainda maior, devido em parte à antecipação das férias coletivas nas fábricas, coincidindo ainda com a realização da Copa do Mundo. Em junho, a produção ficou em 77.788 motocicletas, ante 135.980 unidades em maio, apontando decréscimo de 42,8%. Sobre junho de 2013 (153.392), a queda chegou a 49,3%. Em junho de 2014, foram comercializadas no atacado 80.223 unidades, o que representou um recuo de 35,7% frente a maio, com 124.825 motocicletas. Em relação ao mesmo mês do ano passado (139.247), a queda foi de 42,4%.

Sobre as exportações, o acumulado do primeiro semestre alcançou alta de 1,6%, com 45.479 unidades exportadas, ante 44.777 no mesmo período de 2013. Já o comparativo mensal apresentou baixa significativa de 31,5%, passando de 7.062 motocicletas exportadas, em maio, para 4.840 unidades, em junho.

Positivo

O destaque positivo do mercado nacional de motociclistas fica para scooters e motos acima de 450 cilindradas. As motos maiores em motorização apresentaram crescimento de 12,7% na comparação dos primeiros seis meses desse ano ante 2013. Foram vendidas 27.562 motos esse ano e 24.042 no ano passado. Nos scooters, o crescimento foi de 31,8%. Passou de 15.503 para 20.437 unidades no período analisado.

-Imagens: divulgação-

Um comentário em “Mercado de motos em queda

  1. VOCES QUEREM O QUE ? AS MOTOCILETS NO BRASIL TEM O PREÇO MUITO ACIMA DO MERCADO EXTERIOR, NÃO SÓ POR CAUSA DA CARGA TRIBUTÁRIA COMOS MUITOS APREGOAM É TAMBÉM PELA GANANCIA DAS MONTADORAS, TANTO DE CARROS COMO DAS MOTOCICLETAS É SÓ PESQUISAR NA INTERNET, E VERÃO QUE AS MOTOS QUE CUSTAM 60 MIL AQUI LÁ FORA CUSTAM EM MÉDIA 26 MIL, ISSO É UM ABSURDO, UM PAÍS DE POVO POBRE SE ACHANDO QUE PODE, E OLHAM QUE ALÉM DE PAGAREM CARO AIND FICAM NUMA ILA DE ESPERA, QUE POVO TOLO SÓ NO BRASIL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *