Mercado: julho mantém queda

As vendas e a produção de motocicletas, em julho deste ano, registraram quedas na comparação com julho de 2016 e também no acumulado do ano. Quando comparado o desempenho de produção com julho de 2016 a redução foi de 4,6% (75.033 unidades). No acumulado, foram fabricadas 495.332 motocicletas, retração de 8,2% sobre as 539.765 unidades registradas em igual período de 2016. As vendas no atacado tiveram redução de 9,7% em relação ao mesmo mês do ano passado (71.760 unidades). Já o volume registrado de janeiro a julho retraiu 10,8%: 467.145 em 2017 e 523.949 unidades no ano anterior.

Na comparação de julho com junho deste ano, as vendas de motocicletas no atacado – para as concessionárias –deram um salto de 13,2% em julho, totalizando 64.830 unidades, ante as 57.294 comercializadas em junho. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e similares (Abraciclo). De acordo com informações da entidade, ainda em julho houve alta na produção em relação ao mês anterior. No período saíram das linhas de produção das associadas, todas instaladas em Manaus, 71.582 motocicletas, o que representa aumento de 42,4% na comparação com junho (50.259 unidades).

As exportações continuam com desempenho positivo. Em julho foram embarcadas para outros países 8.380 motocicletas, alta de 9,5% sobre junho (7.650 unidades) e de 120,6% na comparação com o mesmo mês de 2016 (3.798 unidades). O comércio exterior de motocicletas segue também em crescimento no acumulado dos sete primeiros meses do ano com 40.797 unidades, o que significa aumento de 16,8% sobre o mesmo período do ano passado (34.932 unidades). A Argentina permanece como o principal destino no acumulado, seguida de Colômbia e Estados Unidos.

Emplacamentos

Com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, as vendas para o varejo* totalizaram 497.518 unidades no acumulado, queda de 8,5% ante o mesmo período de 2016 (543.999 unidades). Pela comparação mensal, a redução foi de 5,5%, com 70.320 em julho deste ano e 74.417 unidades em julho de 2016. Com relação a junho, o recuo foi de 2% (71.734 unidades). A média diária de vendas em julho foi de 3.349 motocicletas, 2% menor na comparação com a média de 3.416 unidades, registrada em junho.

Leia também:
+ NMAX 160 2018 tem novas cores
+ Ducati Multistrada S tem nova opção de cor Volcano Grey
+ Nova BMW S 1000 RR mantém preço de R$ 78.400
+ Família Honda 500cc 2018. Novas cores, grafismos e escapamento na crossover
+ Kawasaki Versys 650 2018. Duas novas cores, por R$ 34.990
+ Salão Duas Rodas 2017
+ Teste MotoMovimento: Honda CB 650F
+ Kawasaki Vulcan S 2018 tem duas novas versões
+ Ducati traz para o Brasil nova versão da Monster 1200 S
+ Nova Indian Scout Bobber
+ Mercado de motos segue em queda no Brasil
+ Kawasaki ZX-10RR e Z1000 R Edition. No Brasil em julho

“Durante o mês de julho, os volumes de estoque de alguns modelos de motocicletas ficaram abaixo do ideal, gerando espera dos consumidores para a realização das compras e, consequentemente, impacto negativo nos negócios do varejo em geral. Considerando-se os planos de produção das fabricantes, em agosto deverá ocorrer uma recuperação dos estoques, e isso poderá levar o varejo a um resultado mais positivo”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *