Motos em agosto

São Paulo (SP) – A produção de motocicletas totalizou 105.336 unidades em agosto, volume mensal que não era atingido desde outubro de 2015, quando 104.388 unidades saíram das linhas de montagem das fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM). O levantamento é da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

A quantidade de motocicletas fabricadas em agosto foi 31,4% superior ao volume do mesmo mês de 2017 (80.192 unidades) e 9,4% maior na comparação com julho do presente ano (96.277 unidades). No acumulado de janeiro a agosto a produção totalizou 696.297 motocicletas, correspondendo a uma alta de 21% sobre as 575.424 unidades produzidas no mesmo período do ano passado.

Assim como vem ocorrendo desde o início deste ano, fatores macroeconômicos estão contribuindo para impulsionar novos negócios. Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, destaca o desempenho positivo do consórcio e a maior oferta de crédito como alguns dos motivos do crescimento. “Com o início da disputa eleitoral, a tendência é de que a partir de agora ficará um pouco mais difícil saber como a política irá interferir na economia. Todavia, pelo movimento em curso no mercado está cada vez mais claro que o setor chegará aos crescimentos de produção e vendas anteriormente projetados”, diz.

A Abraciclo revisou recentemente para cima a projeção em relação ao volume de produção esperado para este ano, passando de 935 mil para 980 mil unidades, o que significa um crescimento de 11% em 2018, na comparação com o ano passado. Pela previsão inicial a produção cresceria apenas 5,9%. Para o mercado interno (varejo), a entidade projeta a comercialização de 915 mil unidades, com evolução de 7,5% sobre os negócios de 2017.

Nas vendas do atacado – das fabricantes para suas concessionárias – foi verificado um crescimento de 30,5% em agosto (94.987 unidades), em comparação com o mesmo mês de 2017 (72.779 unidades), e de 7% sobre julho, cujo volume foi de 88.773 motocicletas. No acumulado dos oito primeiros meses foram vendidas 635.071 motocicletas para as lojas, o que significa um avanço de 17,6% sobre o mesmo período do ano passado, que havia totalizado 539.922 unidades.

Entre as categorias com mais motocicletas comercializadas em agosto os destaques foram a Street, que aparece no topo do ranking com 49,2% de participação (46.745 unidades); a Trail, com 21,7% (20.595); e a Motoneta, com 15,3% (14.575). Na sequência, vieram Scooter, com 7,8% (7.431), e Naked, com 2,1% (1.995 unidades).

Emplacamentos

Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas de motocicletas no varejo totalizaram 88.906 unidades em agosto, representando uma alta de 16,5% sobre o mesmo mês de 2017 (76.336 unidades). Na comparação com julho (76.226 unidades), o crescimento foi de 16,6%. No acumulado dos oito meses do presente ano as vendas no varejo cresceram 8,4%, totalizando 621.861 unidades, ante 573.854 unidades no mesmo período do ano passado.

A média diária de vendas em agosto ficou em 3.865 unidades, comercializadas em 23 dias úteis e correspondendo a uma elevação de 16,5% sobre o mesmo mês do ano passado (3.319 unidades), que também teve 23 dias úteis. Na comparação com julho (3.465 unidades), houve uma alta na média diária de vendas de 11,6%.

Leia também:
+ A Honda renovou a CB Twister para 2019 com CBS no modelo de entrada
+ BMW prepara mudanças radicais no modelo 2019 da S 1000RR
+ Harley LiveWire 2019, a nova moto elétrica HD
+ Nova Softail FXDR 114 com característica esportiva
+ Harley-Davidson prepara novos modelos para 2020
+ Kawasaki Z 900RS tem versão retrô por R$ 49.990
+ Teste: Honda NC 750X. Moto eficiente e confortável
+ Estratégias Harley-Davidson para 2020 tem modelos inéditos e média cilindrada

Nas exportações, em agosto, foram enviadas para outros países 7.537 motocicletas fabricadas no PIM, significando uma alta de 4,1% sobre o mesmo mês de 2017 (7.239 unidades). Já na comparação com julho (5.229 unidades) a expansão foi de 44,1%.

O principal destino das exportações ainda é a Argentina, apesar das dificuldades econômicas enfrentadas por aquele país. Todavia, em agosto a Argentina teve participação de 50% no total de motocicletas exportadas pelo Brasil, enquanto em julho havia recebido 75% do volume exportado, de acordo com dados das associadas da Abraciclo, baseados na emissão de notas fiscais.

As exportações no acumulado de janeiro a agosto totalizaram 53.796 motocicletas, o que representou uma alta de 12% sobre as 48.036 unidades exportadas no mesmo período do ano passado, também conforme dados das associadas da entidade.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *