Teste: MT-09 chega em novembro

Com o lançamento oficial no Brasil da MT-09, hoje (12/9), a Yamaha tenta acertar dois coelhos com uma cajadada, como diz o ditado popular. A montadora japonesa, que começa a vender a MT (Master of Torque) em novembro mas suas concessionárias já receberão reservas em breve, que atingir dois públicos distintos: os apreciadores de motos com tendência a esportiva Naked e os inclinados ao estilo Motard. Com três cilindros, o motor com tecnologia Crossplane* (a mesma da nova R1) de 850cc, gera 8,92 kgf.m de torque 115 cv de potência, quatro tempos DOHC e doze válvulas.

Com preço público sugerido a partir de R$ 35.990 (dependendo da cor da moto), a Yamaha produziu uma série de acessórios que vão desde chaveiro, passando por roupas, jaquetas em couro e bonés, a baús e malas laterais e de tanque para agradar quem gosta de colocar o pé na estrada com espaço para seus objetos pessoais. Por cerca de R$ 800 também é possível comprar um banco especial mais confortável como acessório.

MotoMovimento experimentou o modelo no pequeno autódromo do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA) no interior paulista, durante aproximadamente meia hora. Numa condução conservadora e suave – como condiz com a pilotagem nas ruas e estradas -, a moto apresentou-se leve na condução (aliás são 191 quilos em ordem de marcha), bem acertada para curvas. O assento plano a 815 mm do solo é bem estreito na parte da frente, o que facilita a pilotagem mais esportiva, e com boa largura na região central, que oferece conforto para longas distâncias. Aparentemente o espaço para a garupa também é confortável. O peso em ordem de marcha é de 191 quilos.

A MT-09 tem três opções de condução: STD, A e B. Eles podem ser escolhidos com a moto em movimento, mas sem aceleração. O modo STD é o normal com torque contínuo em baixas e altas rotações. Já o modo A é o mais esportivo com motor mais cheio e entregas rápidas e o B é igual ao modo “chuva” de outros modelos com essas opções, com entrega de potência menor e reaceleração mais suave e constante.

Leia também:
+ O comportamento eletrônico da BMW S 1000 R
+ A CB 650F e a descontinuação da Hornet 600
+ MV Agusta começa a vender no Brasil a superbike F3 800
+ Superbike BMW recebe ABS para curvas
+ BMW apresenta linha 2015
+ Suzuki apresenta supernaked GSR 1000 no Intermot

A suspensão traseira é do tipo Monocross com link, e 130 mm de curso de roda. A suspensão dianteira é do tipo upside-down, com 41 mm de diâmetro interno e curso de 137mm. Com esse conjunto, a moto apresentou-se bem firme nas retas e curvas durante o teste em Piracicaba.

O sistema de freios ABS (Antilock Breaking System) é de série. É composto por dois discos flutuantes de 298mm e 4 pistões em cada pinça na roda dianteira, e um disco de 245mm na traseira. Os pedais do freio e do câmbio são de alumínio, assim como o chassi e a balança traseira.

O painel é totalmente digital com indicadores de marcha, combustível, posição do D-Mode, conta giros, hodômetro total e parcial, média de consumo, consumo de combustível instantâneo, contagem regressiva de Km em “reserva”, temperatura da água do radiador e temperatura do ar de admissão. O farol é multi-refletor e a lanterna composta por lâmpadas de LED que trazem mais leveza e modernidade ao conjunto.

No Brasil, a MT-09 será vendida na cor Matt Grey (Cinza Fosco), com preço público sugerido de R$ 35.990. Já nas cores Deep Armor (Roxo Metálico) e Blazing Orange (Laranja Metálico) o preço sobe para R$ 36.590. As versões laranja e roxa também já vem com garfos dianteiros dourados, faixa no tanque com o logo “MT”, e emblema da marca em alto relevo. Os preços dos acessórios podem variar de acordo com o concessionário ou a região do País.

*A tecnologia “Crossplane”, de acordo com a Yamaha, oferece potência de forma mais linear e com menor vibração devido ao eixo balanceador, proporcionando altos níveis de torque, com mais conforto na pilotagem e menor desgaste de peças.

Para ler a ficha técnica do modelo clique AQUI

-Imagens: divulgação-

13 comentários em “Teste: MT-09 chega em novembro

  1. Adquiri um modelo cinza em setembro do ano passado. Fazia muito tempo que não empolgava com uma moto. Tive Cb100R, e duas hornets, nada se compara a este torpedo em duas rodas. A posição de ataque nas curvas é perfeita. Rodo dentro da cidade com modo “B” e ela faz 21 KM/Litro. mais barata que os modelos de outras marcas. O ruim que as peças bacanas, estou tendo que comprar da China, pois a maioria não tem aqui no Brasil. Excelente compra.

  2. Tenho acompanhado os teste e comentários sobre a MT 09 na Europa assim como aqui no Brasil. Sou admirador de motos Super / hypermotard e motard. O que estou vendo como incoerência é que as motos motard são, na maioria das vezes, derivadas de motos de on off road, ou seja, pegam estas motos e as modificam fazendo delas uma moto boa para asfalto e para terra porque mantem o curso da suspensão, porém, com rodas menores que normalmente são aros 17 polegadas e pneus street. No caso da MT 09 está parece simplesmente um Naked que querem “empurrar” como motard. Para certificar o que estou narrando aqui é só olhar os cursos das suspensões dianteira e traseira desta moto e comparar com uma realmente motard que poderão comprovar que esta MT 09 é simplesmente uma Naked. Concordam?

  3. A Yamaha do Brasil, declinou de sua melhor moto a TDM 850 aprimorada na TDM 900.
    Quem teve o prazer de pilotar estas máquinas sentiu o verdadeiro prazer do motociclismo de estrada.

    No caso da MT 03, lançada com o mesmo motor da XT 660 tinha tudo para dar certo, mas algum expert da Yamaha trocou a relação secundaria queimando o produto e demonstrando total desconhecimento do nosso mercado.Ficou uma máquina com relação reduzida que não serve para a estrada. Perdendo o desempenho da XT 660 que é um espetáculo.

    A Yamaha do Brasil , queima seus produtos. Veja a Fazer 600. Tiraram 20 HP do motor para
    lançar a XJ 6. Que também peca por não ter regulagem na suspensão dianteira.
    E por aí vai.
    Um abraço aos amantes da Yamaha que como Eu usam seus produtos desde 1976.
    Wadih Trilha.

  4. Gostaria que a Yamaha Brasil explica-se o motivo dessa moto custar 2.500 dólares a menos que uma Triumph Street Triple 675R nos EUA, e aqui custar 3.000 reais a mais que essa moto?!

  5. Linda Motocicleta! Parabéns a Yamaha por inovar de novo. E…tá pronta pra enfrentar a Hornet 800. Que venha o Hornetão!! Briga boa!! MT-09 te vejo em breve.

  6. Grande lançamento, novidade da grande fabricante Yamaha. Estou curioso pra ouvir o ronco desse motor, deve ser parecido com o das triumph speed triple, ou 675, que eu acho maravilhoso.

  7. Prezados,
    Pelas fotos parece ser uma bela máquina, escapes 3 em 1, um luxo. Nas fotos de pilotagem a moto me pareceu pequena, A MM fez algum teste com relação ao porte e peso do piloto e comportamento com garupa para distâncias de 500 km de estrada ?
    Saudações estradeiras.

    1. Caro Washington. Estamos aguardando a liberação do modelo para uma avaliação mais detalhada, inclusive, com longa distância. No momento estamos produzindo testes dos modelos Speed Triple 1050 e BMW S 1000 R que serão publicados breve. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *