Produção de motocicletas

São Paulo (SP) – A produção de motocicletas cresceu 3,2% em abril (91.220 unidades) na comparação com o mesmo mês do ano passado (88.422), segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas (Abraciclo). Na comparação com março passado (91.537 unidades), houve um recuo de 0,3%. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano foram produzidas 368.055 motocicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM), alta de 5,8% ante o mesmo período de 2018 (348.009 unidades).

A produção observa as vendas. De acordo com levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), foram emplacadas 93.370 motocicletas em abril, alta de 13,7% ante o mesmo mês de 2018 (82.118 motocicletas). Na comparação com março (83.798 unidades), o aumento foi de 11,4%.

Em abril, a média diária de vendas foi de 4.446 unidades, crescimento de 13,7% ante abril do ano passado (3.910 unidades) e de 0,8% ante março (4.410 motocicletas). De acordo com a Abraciclo, deste é o melhor resultado alcançado pelo setor no mês de abril desde 2015, que apresentou média diária de 5.408 unidades. Ainda com base nos dados do Renavam, de janeiro a abril foram emplacadas 352.022 motocicletas, alta de 16,8% ante o mesmo período de 2018 (301.422 unidades).

A Street liderou o ranking de motocicletas mais comercializadas por categoria no País em abril, com 47,4% de participação (42.770 unidades. Em segundo lugar ficou a Trail, com 18,5% (16.681) e em terceiro a Motoneta com 16,4% (14.843 unidades). Na sequência do ranking vieram Scooter, com 10,7% de participação (9.636 unidades) e Naked, com 2,4% de participação (2.130 unidades).

De janeiro a abril as categorias se posicionaram da seguinte forma no ranking: Street em primeiro com 50,7% de participação (183.026 motocicletas, alta de 15,7% ante 158.133 unidades no mesmo período do ano passado). Em segundo lugar ficou a Trail, com 19,2% de participação (69.140 unidades, queda de 0,9% ante 69.784 unidades no mesmo período do ano passado). Em terceiro, a Motoneta com 15,4% de participação (55.459 motocicletas, alta de 25,9% ante 44.046 unidades no mesmo período do ano passado).

Em quarto aparece a Scooter com 8,3% (29.868 unidades, alta de 41,7% ante 21.071 unidades no mesmo período do ano passado). Em seguida está a Naked com 2,4% (8.704 motocicletas, alta de 15,9% ante 7.513 unidades no mesmo período do ano passado).

Os emplacamentos de motocicletas da categoria Scooter somaram 7.735 unidades em abril, correspondendo a uma alta de 30,9% ante o mesmo mês do ano passado (5.910 unidades) e de 29,1% na comparação com março (5.991 unidades). Nos quatro primeiros meses do ano foram licenciadas 26.467 Scooters, representando uma alta de 13,3% ante 23.361 unidades do mesmo período de 2018.

“Houve uma ampliação da oferta de crédito pelas instituições financeiras, sobretudo bancos de montadoras. Além disso, cresce a contemplação de motocicletas pelo sistema de consórcio, contribuindo para o aquecimento da demanda. O Crédito Direto ao Consumidor – CDC e o Consórcio representam quase 70% das vendas de motocicletas no mercado nacional”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Leia também:
+ KTM inaugura museu próprio na Áustria
+ Husqvarna linha 2019 com 6 modelos de R$ R$ 64 a R$ 75 mil
+ BMW chama recall para C 600 Sport e C 650 GT
+ Automec, feira de reposição de peças, tem lançamento de lâmpada LED para motos pequenas
+ Abraciclo vê mercado 2019 em alta, mas no mesmo patamar de 2004
+ Teste: Harley-Davidson Street Glide Special 2019
+ Estudo mostra intensidade de furtos e roubos de moto em SP
+ MXF Motors lança novo modelo de minimoto de 105 cilindradas para competições

As vendas no atacado – repasse para as concessionárias – somaram 90.267 motocicletas, alta de 14,9% ante abril de 2018 (78.536 unidades). Contudo, na comparação com março (93.559 unidades) houve recuo de 3,5%. De janeiro a abril deste ano as vendas no atacado somaram 360.908 unidades, alta de 15,5% ante mesmo período de 2018 (312.546 unidades).

Em abril foram exportadas 2.924 motocicletas, recuo de 56,2% ante o mesmo mês de 2018 (6.672) e queda de 17% na comparação com março passado (3.525 unidades). No acumulado dos quatro primeiros meses do ano foram embarcadas para os outros países 14.306 unidades, redução de 52,3% ante o mesmo período do ano passado (29.992 unidades).

Segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, a Argentina foi o principal comprador de motocicletas brasileiras em abril, com 1.818 unidades, 66,5% do total. Em segundo lugar ficaram os Estados Unidos, com 328 unidades e 12% de participação, e em terceiro a Colômbia, 200 unidades e 7,3% de participação.

De janeiro a abril, a Argentina manteve a liderança com 5.650 motocicletas compradas do Brasil, correspondendo a 43,9% do total, seguida pelos Estados Unidos, com 2.552 unidades e 19,8% de participação, e pelo Canadá, com 1.488 unidades, representando 11,6% do total exportado.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *