Produção de motocicletas: queda de 31%

A produção de motocicletas, no acumulado do ano (janeiro a setembro) apresentou queda de 31%, passando de 1.032.715 (2015) para 712.870 (2016) – atingindo o menor patamar desde 2003, com 741.929 unidades. Os números foram divulgados hoje, em São Paulo, pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

A produção de motocicletas em setembro deste ano apresentou queda de 32,2% em relação ao mesmo mês do ano passado. Foram 80.489 ante 118.743 unidades em 2015 A entidade representa nove das maiores montadoras brasileiras instaladas no Polo Industrial de Manaus (AM).

Segundo a Abraciclo, as quedas também prevaleceram nas vendas e exportação. Na comparação de setembro com agosto deste ano a retração foi de 13,3%. Foram fabricadas 80.489 motos em setembro, ante 92.791 em agosto. As vendas no atacado – para as concessionárias – seguiram a mesma tendência e registraram queda de 8,4% no período, passando de 83.236 motocicletas, em agosto, para 76.268 unidades, em setembro. As vendas no atacado para as concessionárias apresentam decréscimo de 28,7%, com 683.453 motocicletas ante 959.077, em 2015.

“As medidas para a retomada da economia ainda não foram alinhadas, mantendo o compasso de espera. Além disso, a greve bancária, que se estende por mais de 30 dias, também contribuiu para que a média de vendas diária ficasse abaixo do registrado no mês de agosto de 2016. Estima-se que cerca de quatro mil motocicletas poderiam ser emplacadas, entre consórcio e financiamento”, disse Marcos Fermanian, presidente da associação.

Já as exportações apresentam um cenário mais favorável com leve queda de 4,7% nos primeiros nove meses do ano, passando de 45.922 unidades (2015) para 43.752. As vendas externas somaram 4.298 motocicletas comercializadas no mês passado, volume 5% inferior em relação às 4.522 de agosto.

Leia também:
+ Honda tem edição especial de 40 anos da linha CG
+ Vespa inicia vendas no Brasil
+ Ducati mostra esportiva SuperSport na Alemanha
+ Kawasaki lança Ninja 650 no Intermot
+ CBR 1000 RR Fireblade 2017 é mais leve e mais potente
+ Yamaha lança versão naked da MT-10 mais próxima da YZF-R1M
+ Intermot abre as portas com novidades das montadoras

No varejo, a média diária de vendas de motocicletas caiu 4,3% entre agosto (23 dias úteis) e setembro (21 dias úteis), passando de 3.324 para 3.182 unidades. Quando comparada à média diária do mesmo mês de 2015 (4.521 unidades/dia em mês com 21 dias úteis), verifica-se um declínio de 29,6%.

Na comparação mensal, os licenciamentos desaceleraram 12,6%, considerando as 66.822* motocicletas comercializadas em setembro, ante 76.460, em agosto. Já no acumulado (janeiro a setembro), a retração foi de 27,1%, passando de 942.581, em 2015, para 687.280, em 2016.

(*) Foram desconsiderados os ciclomotores usados, cujo licenciamento junto aos Detrans passou a ser obrigatório a partir da Lei nº 13.154, de 30/07/2015, e da Resolução Contran nº 555/15, de 17/09/2015.

Para aprofundar no assunto, analise tabelas da Abraciclo sobre o mercado em setembro e no acumulado do ano, no anexos em PDF:

Clique AQUI para a tabela sobre produção de motocicletas
Clique AQUI para a tabela sobre o resumo do balanço 2016
Clique AQUI para a tabela sobre vendas no atacado
Clique AQUI para a tabela sobre emplacamentos

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *