Produção de motos 2018

São Paulo (SP) – A produção de motocicletas cresceu 19% de janeiro a novembro deste ano em comparação com o mesmo período de 2017. Segundo balanço divulgado nesta terça-feira (11) pela Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Bicicletas e Similares (Abraciclo), saíram das indústrias 968,8 mil unidades até novembro, contra as 813,8 mil fabricadas de janeiro a novembro de 2017.

Foram produzidas 90,1 mil motos em novembro, uma expansão de 8,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em comparação com outubro, no entanto, quando foram fabricadas 101,1 mil unidades, foi registrada uma queda de 10,9% na produção.

Exportações

As exportações apresentaram uma retração de 12,9% no acumulado de janeiro a novembro, com a venda de 65 mil unidades, contra 74,6 mil no mesmo período do ano passado. Segundo o presidente da Abraciclo, Marcus Ferminian, as vendas para o mercado externo sofrem com os reflexos da crise na Argentina, maior comprador dos produtos brasileiros.

Projeção

A partir dos números, a Abraciclo projeta fechar o ano de 2018 com um crescimento da produção de 17,2% em relação ao ano passado, com um total de 1,03 milhão de motos. Para 2019, a expectativa é de uma expansão de 4,3% na produção, com a fabricação de 1,08 milhão de motos.

Leia também:
+ Programação Rally Piocerá 2019
+ SuperBike Brasil encerra temporada em São Paulo
+ Recall Honda para X-ADV
+ Promoções para novembro das marcas Harley-Davidson, BMW e Kawasaki
+ Ducati Panigale V4 R é novidade no Salão de Milão (EICMA) 2018
+ Teste: Harley-Davidson Fat Bob e o torque do Milwaukee-Eight 107
+ BMW chega a 50 mil unidade montadas em Manaus (AM)
+ SuperBike Brasil apresenta o calendário para 2019
+ Royal Enfield Himalayan 400. No Brasil, em janeiro de 2019

Apesar dos números positivos, Ferminian destacou que a fabricação ainda está abaixo da capacidade das fábricas instaladas na Zona Franca de Manaus. De acordo com ele, a expansão neste ano “reverte o ciclo de queda” enfrentado pela indústria desde 2011. Com a volta do crescimento, o setor volta ao mesmo patamar que tinha em 2004. “A gente celebra o crescimento, mas ainda estamos distantes da ocupação total das nossas plantas”, ressaltou.

Entre os fatores que permitiram a retomada em 2018, Ferminian apontou a melhora da confiança dos consumidores na economia e a expansão do crédito, inclusive a partir das próprias marcas que tem bancos próprios para financiar as vendas.

-Informações e imagens: EBC/Divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *