SuperBike Brasil 2016

Danilo Lewis (#17), da equipe Tecfil Racing Team, venceu a 1ª etapa da SuperBike Brasil 2016, disputada no domingo (10/04), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Marcada por grandes disputas por posições, a corrida foi definida somente nos últimos segundos, Lewis contou com técnica uma dose extra de sorte para garantir a primeira posição no pódio.

O final de semana não parecia ser o melhor para o piloto da equipe Tecfil Racing Team. Lewis não participou das sessões livres de sexta-feira, e no sábado, nas classificatórias, começou bem mais lento que os adversários. Porém, conseguiu gradativamente melhorar seus tempos. Na primeira sessão foi apenas o 9º colocado. Em seguida, conseguiu ser o quinto mais rápido e por fim, o terceiro. Já na definição da SuperPole, não foi tão bem e fechou o sétimo melhor tempo.

Para conseguir um bom resultado na corrida, Danilo Lewis apostou numa pilotagem mais agressiva. E deu resultado. Na terceira volta, ganhou uma posição ao ultrapassar José Luiz “Cachorrão” (#51), da Honda Mobil. Na seguinte, saltou para quarto, deixando Diego Pretel (#88) e Maico Teixeira (#36), da Honda Mobil, para trás.

Na quinta volta, todos os pilotos afrouxaram o punho. O processe de Safety Car foi acionando para a retirada de uma caída na pista. A relargada foi realizada na abertura da 10ª volta e deu início ao momento de maior emoção da corrida. Quatro pilotos passaram a disputar a ponta, com uma distância ínfima de dois centésimos entre eles. Lewis, Diego Faustino (#68), da Honda Mobil, Wesley Gutierrez (#134), da Kawasaki SuperBike Team, e Sebastiano Zerbo (#81), da Alex Barros Racing Team, chegavam na reta dos boxes praticamente lado a lado, e a ordem dos pilotos era definida basicamente pelo tempo de frenagem na entrada do ‘S’ do Senna. Isso se repetiu até 15ª e última volta.

Wesley Gutierrez acabou errando o tempo de frenagem e passou reto numa curva. Agora restavam apenas Lewis, Zerbo e Faustino. E o piloto da Tecfil contou novamente com a uma dose de sorte. Zerbo cometeu um pequeno erro e acabou abrindo caminho para Lewis assumir a ponta. Neste momento, o piloto abriu uma pequena vantagem para Faustino e recebeu a bandeira quadriculada em primeiro. Faustino terminou a prova em segundo, com Zerbo em sua cola – a cinco milésimos – na terceira posição.

Diego Pretel (#88) aproveitou o erro de Wesley Gutierrez e garantiu o quarto lugar. José Luiz “Cachorrão” (#51), da equipe Honda Mobil, fechou a lista dos cinco primeiros colocados. Já o bicampeão da SuperBike, Maico Teixeira (#36), da Honda Mobil, não fez uma grande prova e ficou apenas em sexto.

Leia também:
+ Teste: Harley-Davidson softail Breakout
+ Teste: Biz 110i, com injeção eletrônica fica mais eficiente no trânsito da cidade
+ Yamaha traz para o Brasil a MT-03 e o scooter NMAX 160
+ Honda começa a vender no Brasil, em abril, o scooter SH 300i por R$ 23.590
+ Veja o calendário de eventos para motociclistas de dezembro de 2016
+ Teste Indian Chief Classic e Chief Vintage
+ Teste MotoMovimento: Indian Scout é ágil na pista
+ CG 160 Start 2016 em abril por R$ 7.390

Pela categoria Pro Amador, o vencedor foi Fábio Nallin (#47), da equipe Misano Racing. A segunda posição ficou com Jeferson Marchesin Friche (#6), da HG Motos Racing, seguido por Sharbel El Hajjar (#23), da Tom Racing, em terceiro. Rui Luiz Alves (#78), da Pro Racing Team, garantiu o quarto lugar, logo à frente de Fabrício de Castro (#75), da BH Racing, em quinto.

Na Pro Estreante, Luciano Pokemon (#77), da Pkm Racing, fez uma excelente corrida e faturou a primeira posição. Já Juracy Rodrigues “Black” (560), da equipe Black Day Racing Team, que havia liderado todos os treinos, ficou em segundo. Os dois pilotos brigaram pela liderança até a última volta e Luciano levou a melhor com uma vantagem de apenas um décimo.

Na disputa da categoria Pro Master o vencedor foi Elson Tenebra Otero (#2), da Suzuki/Econs/Best Riders. Já a segunda posição ficou com Jirios Semaan Abboud (#100), da equipe BH Racing.

SuperSport

Matheus de Oliveira Dias (#70), da equipe Tecfil Racing Team, fez uma boa corrida e garantiu a vitória na primeira etapa da SuperSport. O piloto, que largou apenas em quinto, começou bem a prova. Na segunda volta, ultrapassou Luiz Cerciari (#3), da Cerciari Racing School – que perdeu posições na largada – e passou a integrar o pelotão dos ponteiros formado por Lucas Bittencourt (#202), da Paulinho SuperBikes, Alex Schultz (#22), da Dynel’s Racing Team, e Pedro M. Sampaio (#2), da Pastorello Estruturas Metálicas.

Matheus, o atual campeão da categoria, passou a acelerar forte e reduzir cada vez mais a vantagem dos adversários. Na quarta volta, já ocupava a vice-liderança. Porém, como os pilotos estavam praticamente lado a lado, a ordem das posições variou bastante.

Na sexta volta, Matheus assumiu a ponta pela primeira vez. Entretanto, com a proximidade dos adversários, nenhum piloto conseguiu manter a liderança por muito tempo, e acabavam revezando posições. Lucas Bittencourt, que largou em sexto, teve problemas com sua moto e não conseguiu mais acompanhar o pelotão.

Agora a liderança ficaria apenas entre Matheus, Schultz e Pedro Sampaio. Na volta final, Matheus retomou a ponta com uma linda ultrapassagem sobre Schultz, entrando por dentro na curva do Laranjinha. Ao tentar defender a posição, o piloto da Dynel’s Racing perdeu o traçado e subiu na zebra – conseguindo trazer a moto novamente para a pista.

Com o caminho mais livre, Matheus seguiu para receber a bandeira quadriculada em primeiro lugar. Schultz ainda conseguiu diminuir a distância, porém, encerrou a prova em segundo, com menos de um décimo de distância para o ponteiro. A terceira posição ficou com Pedro Sampaio. Lucas Bittencourt conseguiu segurar o quarto lugar, logo à frente de Ives Moraes (#23), da Motom, em quinto.

Pela categoria Pro Amador, o vencedor foi Jefferson Ramos Valcézia (#99), da equipe Tecfil Racing Team. Denis Perenyi (#59) ficou em segundo, logo à frente de Mauricio Protta “Máscara” (#28), da Vitória Racing, que recebeu a bandeira quadriculada em terceiro. A quarta posição foi para Diego Viveiros (#23), da Tecfil Racing Team, piloto que estreia neste ano na categoria logo após levar o título de campeão da Copa Kawasaki Ninja 600. Já o quinto lugar foi Rafael Dadario (#86), da equipe Viana Racing.

SuperStreet

Em uma corrida definida apenas nos metros finais, Eliton Kawakami (#27), da equipe Playstation Yamaha, foi o mais rápido e venceu a 1ª etapa da SuperStreet, categoria multimarcas com motos de 300 cilindradas que estreia nesta temporada do SuperBike Brasil.

Já na largada, Eliton Kawakami, com sua Yamaha YZF-R3, tomou a ponta de Diego Moreira (#20), da equipe Alex Barros Racing Team, que havia cravado a melhor volta nos treinos classificatórios e conquistado a primeira posição no grid. Porém, esta ultrapassagem não garantiu absolutamente nada para o piloto.

Os dois adversários, visivelmente mais rápidos que os demais pilotos, disputaram a liderança e trocaram inúmeras vezes de posição. Enquanto Eliton, com sua Yamaha azul escura, ganhava tempo nas frenagens, Diego Moreira, com sua Honda CBR 250R, dava o troco com uma maior aceleração e velocidade final nas retas.

Os dois pilotos entraram na volta final praticamente lado a lado. Eliton à frente, com Diogo a apenas alguns centésimos de distância e procurando o ponto ideal para realizar a ultrapassagem. Os dois completaram a volta e entraram na reta final muito próximos. Eliton acabou cruzando a linha de chagada em primeiro, com uma distância mínima de 34 milésimos para Diogo, que ficou com a segunda posição.

Logo atrás, outra briga boa. Niko Ramos (#822), da equipe Tecfil Racing Team, não teve refresco nesta primeira etapa e quase perdeu a posição de largada na corrida. Niko saiu em terceiro e vinha sendo o mais rápido entre os pilotos de Kawasaki Ninja 300 ao longo dos treinos. Porém, ele não esperava que Marco Antonio Reis (#3), da Moretti Racing Team, superasse uma posição intermediária de largada e lutasse pela terceira colocação no pódio. O piloto saiu em quinto e rapidamente partiu pra cima dos adversários. Inicialmente, disputou a quarta colocação com Rafael Gomes Traldi (#128), da Motonil Motors, e em seguida passou a perseguir Niko.

Os dois se distanciaram do pelotão e travaram uma disputa acirrada pela terceira posição até o fim da corrida. Marco Antônio Reis chegou a ultrassapar Niko Ramos, porém não conseguiu sustentar a posição. Niko entrou na volta final com uma pequena vantagem e cruzou a linha de chegada em terceiro, 33 milésimos à frente de Marco Antônio Reis, que encerrou a prova em quarto.

Já a quinta posição ficou para Rafael Gomes Traldi, que ainda sofreu o ataque de Humberto Turquinho JR (#12), da Alex Barros Racing Team, na última parte da prova, mas conseguiu manter a posição.

Ninja 600

Nenhuma grande surpresa na disputa da primeira etapa da Copa Kawasaki Ninja 600. Samara Andrade (#74), da equipe Tecfil Racing Team, confirmou o favoritismo e venceu a prova. A piloto foi a mais rápida na maior parte dos treinos livres e classificatórios, e garantiu a primeira posição na categoria – vale destacar que as Ninja 600 correram juntamente com as motos da SuperSport.

Em uma prova relativamente tranquila, Samara conseguiu administrar a liderança e terminar a corrida com uma vantagem confortável de sete segundos para o vice-líder. Douglas S. Tomé (#67), da equipe Viana Racing, levou a segunda posição, porém, não com a mesma facilidade de Samara. Isso porque Bruno Monteiro (#30) se manteve na cola do adversário e recebeu a bandeira quadriculada em terceiro, cerca de um segundo atrás de Tomé.

Seguindo a lista dos primeiros colocados, Junior Américo de Oliveira (#60), da equipe Viana Racing, terminou a prova em quarto, logo à frente de Felipe Diniz “Bolinha” (#121), da MotoSchool Racing Team, em quinto.

Pela categoria SuperBike Light Master, o vencedor foi Waldemar Mendes (#62), da equipe Pkm Racing. Já a segunda posição ficou com Valter Rubino (#65), da Misano Racing Team.

SuperBike Light

Rodrigo Calmon Dazzi (#146), da equipe Giro Moto, foi o vencedor da primeira etapa da SuperBike Light. O piloto largou bem, ganhou uma posição e tomou a ponta. Até a quinta volta, Dazzi sustentou a liderança tendo Guto Figueiredo (#18), da equipe KT5/A2/Passaredo, e Marcos Migliorelli (#11), da Everson Racing, logo atrás.

Em seguida, a prova entrou em bandeira vermelha, o que levou a uma nova relargada. Logo após o reinício da corrida, Dazzi foi surpreendido com as investidas de Guto Figueiredo, que lhe tomou a liderança – temporariamente. Porém, o piloto da equipe Giro Moto não deixou barato. Na sétima volta, Dazzi protagonizou uma linda ultrapassagem – onde as motos quase se tocaram – e retomou a ponta.

Na volta final, Dazzi conseguiu abrir uma pequena vantagem sobre adversário e cruzou a linha de chegada em primeiro. Guto Figueiredo ficou com o segundo lugar no pódio, logo à frente de Fabio Martins (#12), da equipe Speed Racing, em terceiro. Irineu Cerino Junior (#85), da equipe Contiauto Multimarcas, que largou apenas em 10º, fez uma grande corrida de recuperação e terminou a prova em quarto. Já a quinta posição ficou com Marcos Migliorelli (#11), da Everson Racing. O piloto não teve um bom dia. Largou em primeiro e perdeu diversas posições ao longo da prova. Na relargada até conseguiu voltar a brigar pela liderança, porém foi rapidamente ultrapassado.

Pela categoria SuperBike Light Master, o vencedor foi Marcos Senra (#67), da Moretti Racing Team, o sexto no geral. Alexandre Marzola (#00) garantiu a segunda posição, logo à frente de Marcos Ramalho (#9), da PRT, em terceiro, e de Guilherme M. de Oliveira Neto (#66), da Pro Racing Team, em quarto. Já o quinto a cruzar a linha de chegada foi Antonio Telvio (#5), da equipe Serra Racing.

Ninja 300

A definição do vencedor da 1ª etapa da Copa Kawasaki Ninja 300 saiu apenas nos últimos segundos da prova realizada no Autódromo de Interlagos. Fernando Santos (#234), piloto da equipe Tecfil Racing Team, acabou ficando com o lugar mais alto do pódio.

Em uma corrida marcada pela paridade entre os adversários, ninguém ousaria arriscar quem seria o vencedor desta disputa. Seis pilotos formaram um pelotão que se desgarrou dos demais adversários, e revezaram a liderança praticamente curva a curva na maior parte da prova. Fernando Santos, que largou em quarto, logo assumiu a vice-liderança, atrás somente de Indiana Muñoz Gomes (#199), da Mobil Ituran Racing. Ela liderou a prova até a quinta volta, quando perdeu a frente de sua moto na curva do Pinheirinho e acabou indo para chão.

Assim, a disputa pela liderança ficou entre Fernando Santos, Mauricio Venhoven Sagui (#117), da Cerciari Racing School, Sandro Paganelli (#64), da Paganelli Racing, Niko Ramos (#822), da Tecfil Racing Team e Marco Antonio Reis (#3), da Moretti Racing Team. Os cinco revezaram posições ao longo da segunda metade da prova e entraram para a volta final com a definição do pódio ainda totalmente indefinida.

Niko Ramos conseguiu tomar a ponta e entrar na reta dos boxes em primeiro. Porém, a distância para os adversários estava na casa dos milésimos e qualquer um poderia ser o vencedor. Por uma vantagem de apenas 24 milésimos, Fernando Santos recebeu a bandeira quadriculada em primeiro. Mauricio Sagui ficou com a segunda posição, logo à frente de Sandro Paganelli, em terceiro. Niko Ramos, que estava com uma mão na taça, terminou a prova em quarto, seguido por Marco Antônio Reis em quinto.

Pela categoria Copa Kawasaki Ninja 300 Light, o vencedor foi Jeferson Souza (#707), da equipe Rodas Mil Competições – o sétimo no geral. Derick Rene Litano Filipini (#227), da Castrol Team, foi o segundo a cruzar a linha de chegada, logo à frente de Ricardo Castilho (#71), da Tecfil Racing, em terceiro. Bruno Ribeiro (#169), da HG Motos Racing, garantiu a quarta posição, seguido por Herton Bomer (#114), da Duda Racing Team, em quinto.

CBR 500R

Arthur Costa (#99), da equipe Alemão Pneus, fez uma grande corrida e venceu a 1ª etapa da Copa Honda CBR 500R. O jovem piloto largou em quinto, e logo no início da prova partiu em busca das primeiras colocações. Arthur realizou uma ótima largada, ganhou três posições e assumiu a vice-liderança, atrás apenas do piloto Guilherme Brito (#7).

Nas voltas seguintes, um pelotão formado por cinco integrantes se distanciou dos demais adversários. Guilherme Brito vinha liderança, com Arthur Costa em segundo, Leonardo Tamburro (#53), da Honda MotoSchool de Talentos, em terceiro, Davi Gomide (#31), da MotoSchool Racing Team, em quarto, e José Duarte (#97), da Alex Barros Racing Team, em quinto: todos rodando no mesmo ritmo e muito próximos uns dos outros.

Essa disputa seguiu até a quarta volta. Guilherme Brito perdeu o controle de sua moto na entrada de uma curva e acabou indo para chão. Arthur Costa e Leonardo Tamburro conseguiram desviar, mas Davi Gomide foi pego de surpresa e não foi capaz de evitar o choque. O piloto acabou caindo também e abandonou a prova.

Com essa reviravolta nas primeiras posições, José Duarte assumiu temporariamente a liderança, com Tamburro em segundo. Porém, com essa disputa particular, Arthur Costa conseguiu acelerar forte e se reaproximar dos dois adversários para na sétima volta assumir a liderança.

A corrida seguia para seus instantes finais com o piloto da equipe Alemão Pneus em primeiro e Leo Tamburro, buscando um traçado alternativo para fazer a ultrapassagem, em segundo. Mas Arthur Costa conseguiu suportar a pressão e manter a liderança para cruzar a linha de chegada em primeiro. Já Tamburro ficou com a segunda posição, seguido, logo atrás, por José Duarte em terceiro.

Com o abandono de Davi Gomide e de Guilherme Brito, abriu-se caminho para outros pilotos completarem o pódio. Juninho Trudes (#72), da equipe RF Racing, cruzou a linha de chegada 21 segundos atrás do líder e garantiu a quarta posição, logo à frente de Luigi Maffei (#30), da RF Racing, e quinto.

Pela categoria Copa Honda CBR 500R Light, o vencedor foi Rafael Rigueiro (#52), da equipe MotoSchool Racing Team. A segunda posição ficou com Linda Raad (#49), da Moretti Racing Team, que terminou a prova logo à frente de Alexandre Dal’ Olio Franca (#82), da Fullmann SuperBike, em terceiro.

Na categoria Júnior, Rigueiro somou mais um primeiro lugar, à frente de Maria Fernanda Rocha (#22), da equipe Fullmann, em segundo.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *