Suzuki volta ao Moto 1000 GP

Depois de vários anos de afastamento das competições brasileiras de motovelocidade, a Suzuki retorna às pistas nesta temporada no Moto 1000 GP. Esta política, que teve início com apoio oficial da marca à equipe Team Suzuki-PRT, é ampliada agora ao evento de modo geral.

O apoio à equipe e, agora, ao evento foi viabilizado pela concessionária Nova Suzuki, pertencente ao grupo Nacar, um dos mais conceituados do Brasil no mercado de motocicletas. O retorno às competições de pista e a opção pelo Moto 1000 GP representaram dois passos distintos, segundo explica Joãozinho Toleto, diretor da Suzuki Motors do Brasil. O retorno da marca às competições deu-se, em primeiro momento, com o apoio ao Team Suzuki-PRT, que disputa a categoria principal do evento, a GP 1000, com os pilotos Alan Douglas, Diego Faustino, Renato Andreghetto e Nick Iatauro.

“Desde que decidimos pela volta às pistas, a opção foi pelo Moto 1000 GP. Pela aceitação geral e pelo nível de profissionalismo, consideramos que é o evento ideal para o nosso retorno às pistas”, observa Toleto. Os apoios têm orientação própria e um objetivo comum: dar condições de competitividade aos pilotos e à equipe e também visibilidade à marca entre os consumidores de motos de alta cilindrada. “Queremos recuperar o prestígio da Suzuki de 1.000 cilindradas. Acredito muito no retorno de imagem do campeonato e no aumento de vendas”, considera Toleto.

A rede de concessionárias Suzuki terá envolvimento direto com o projeto no Moto 1000 GP, segundo Toleto. A Nova Suzuki, por exemplo, providenciou um camarote em Interlagos para recepcionar seus convidados durante a etapa deste domingo, que terá em disputa o GP Michelin. “Acredito que essa parceria vá ser um sucesso total e fomentar ainda mais a participação da Suzuki no mercado”, comenta o diretor geral da Nova Suzuki, Renato Maurício. “A nossa opção pelo Moto 1000 GP deu-se pela credibilidade do organizador e pelo nível de profissionalismo”, acrescenta, citando o promotor do campeonato, Gilson Scudeler. “Eu inclusive já estive com o Gilson como apoiador de sua carreira como piloto, quando ele retornou da Europa no início da década passada.

Scudeler enalteceu a parceria com a Suzuki. “É uma conquista das mais importantes para o evento a chegada de um grande fabricante, no momento de seu retorno às pistas de corridas. O Moto 1000 GP oferece um cenário propício para o desenvolvimento técnico e para a geração de negócios”, comenta.

-Imagens: divulgação-

Um comentário em “Suzuki volta ao Moto 1000 GP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *