Terceira etapa SuperBike Brasil

Danilo Lewis (#17), da equipe Tecfil Racing Team, venceu a categoria principal da terceira etapa SuperBike Brasil realizada no último domingo (12), em Interlagos, São Paulo. Foi a terceira vitória consecutiva do piloto que segue na liderança do campeonato. Lewis largou em terceiro lugar na prova o três décimos atrás do líder Diego Faustino (#68), da equipe Honda.

Na corrida, um pelotão com quatro pilotos abriu ampla vantagem para os demais adversários. Faustino e o italiano Sebastiano Zerbo (#81), da BMW Motorrad Alex Barros Racing, vinham mais à frente com Lewis e o argentino Marco Solorza (#55), da equipe JC Racing Team, logo atrás. Dos quatro, somente Lewis terminou a prova.

O primeiro a sair da disputa foi o italiano Sebastiano Zerbo, que enfrentou problemas com a moto na 11ª volta e abandonou a competição. A partir de então restavam apenas três candidatos à vitória. Neste momento, Faustino vinha na frente com Solorza diminuindo a diferença. Já na volta final, o argentino forçou uma ultrapassagem onde não havia espaço e tentou uma manobra classificada como “visivelmente inconsequente”. Como resultado, acabou tocando na moto de Faustino e os dois caíram. Com isso, o caminho ficou completamente aberto para Danilo Lewis cruzar a linha de chegada e faturar mais uma vitória no campeonato.

José Luiz “Cachorrão” (#51), da equipe Honda, ficou com a vice-liderança, logo à frente de seu companheiro de equipe Maico Teixeira (#36), em terceiro. Fernando Guerra (#913), da Motonil Motors, que largou em décimo, ganhou inúmeras posições e encerrou a prova na quarta colocação. Alex Borges (#44), da Pitico Racing Team, – que disputa a categoria Pro Amador – fez uma excelente corrida e foi o quinto a cruzar a linha de chegada. Completando o pódio da categoria Pro, Bruno Corano (#34), da equipe Kawasaki Racing Team, foi beneficiado pelos diversos imprevistos e faturou o quinto lugar.

Leia também:
+ Honda GL 1800 Gold Wing tem recall para air bag
+ Triumph inicia pré-venda do novo modelo Speed Triple R no Brasil
+ Yamaha promove R3 com Kit Sport Red #99
+ BRP abre concessionária no sul da Bahia
+ T12 Massimo. Última obra de Tamburini
+ Indian abre loja temporária em Campinas (SP)
+ Teste Honda SH 300i
+ Harley-Davidson convoca recall para 196 unidades da Low Rider

Pela categoria SuperBike Pro Amador, o vencedor foi Alex Borges. Jeferson Marchesin Friche (#6), da HG Motos Racing, garantiu a vice-liderança da corrida, logo à frente de Fábio Nallin (#47), da Misano Racing, que recebeu a bandeira quadriculada em terceiro. Fabricio de Castro (#75), da equipe BH Racing, faturou a quarta posição seguido por Daniel Toloni (#3), da Misano Racing Team, em quinto.

Na SuperBike Pro Estreante, Juracy Rodrigues “Black” (#560), da equipe Black Day Racing Team, foi o mais rápido e venceu a prova. Luciano Pokemon (#77), da equipe Pkm Racing, terminou a corrida na segunda posição.

Pela categoria SuperBike Master – com pilotos acima de 45 anos –, Elson Tenebra Otero (#2), da Suzuki/Econs/Best Riders, faturou a vitória e deixou Jirios Semaan Abboud (#100), da equipe BH Racing, para trás, em segundo.

SuperSport

Maximiliano Gerardo (#41), da equipe Motonil Motors, não encontrou dificuldades para vencer a 3ª Etapa da SuperSport. O piloto uruguaio teve um excelente final de semana no SuperBike Brasil. Ainda nos treinos livres e classificatórios, Gerardo não deu chance aos adversários e garantiu a primeira colocação isolada no grid. O piloto da equipe Motonil repetiu o ótimo desempenho na corrida.

Durante a prova, o único imprevisto ocorreu logo na primeira volta, quando foi ultrapassado por Lucas Bittencourt (#202), da equipe Paulinho SuperBikes, que lhe tomou a ponta temporariamente. Porém, logo em seguida, já na Reta dos Boxes, o uruguaio deu o troco e retomou a liderança para não mais deixá-la.

A partir deste momento, Maximiliano Gerardo passou a fazer seguidas voltas rápidas e abrir uma considerável vantagem para os adversários. O único piloto capaz de alcançá-lo, Lucas Torres (#77), da equipe Pitico Racing Team, abandonou a prova na penúltima volta, e com isso o caminho ficou completamente aberto para o uruguaio faturar a vitória. Gerardo terminou a prova em primeiro e recebeu a bandeira quase cinco segundos à frente do vice-líder.

Na sequência, uma disputa que foi decidida apenas nos metros finais. Pedro Sampaio (#02), da equipe Tecfil Racing Team, e o atual campeão da SuperSport, Matheus de Oliveira Dias (#70), da Motom, travaram uma verdadeira batalha pela segunda posição ao longo da corrida. Pedro se defendeu como pôde dos constantes ataques do adversário, e na volta final essa briga ficou ainda mais intensa. O piloto da Tecfil garantiu a vice-liderança ao cruzar a linha de chegada com uma vantagem de somente dois milésimos para Matheus, que ficou em terceiro.

Lucas Bittencourt não conseguiu acompanhar o primeiro pelotão e terminou a corrida em quarto. Já Alex Schultz (#22), da equipe Dynel’s Racing Team, completou o pódio com o quinto lugar na prova.

Pela categoria SuperSport Pro Amador, o vencedor foi Diego Viveiros (#23), da equipe Tecfil Racing Team – o décimo no geral. Marcio Ferreira Bortolini (#37), da equipe Granado Sport Team, encerrou a prova na segunda colocação, logo à frente de Cristiano Aquino Nogueira (#26), da MCW Racing Team, em terceiro. Rafael Dadario (#86), da Viana Racing, garantiu o pódio com a quarta colocação, seguido por Raphael Arcari Brito (#96), da Viana Racing, em quinto.

SuperBike Light

Guto Figueiredo (#18), da equipe KT5/A2/Passaredo, fez uma brilhante corrida e venceu a 3ª Etapa da SuperBike Light. O piloto da cidade de Ribeirão Preto largou na quarta colocação e assumiu a ponta apenas nos segundos finais de prova para, em seguida, comemorar intensamente a primeira vitória na temporada.

Após conquistar a quarta colocação nos treinos livres e repetir o mesmo resultado nos classificatórios da SuperBike Light, Guto tinha como missão superar seus adversários diretamente na pista. E foi exatamente isso o que aconteceu. Já na largada, Guto foi beneficiado pelo fato do então líder, Guilherme de Oliveira Neto (#66), da equipe Pro Racing Team, encontrar problemas com sua moto e perder o tempo da largada. Porém, ele não ganhou nenhuma posição. Isso porque seu principal adversário na temporada, Rodrigo Calmon Dazzi (#146), da equipe Giro Moto, saltou de sexto para o terceiro lugar.

Guto Figueiredo iniciou, então, seu objetivo de chegar na liderança. Já na quarta volta, ganhou uma posição ao ultrapassar Felipe Comerlatto (#186), da equipe Pro Racing Team, que vinha em terceiro. Neste momento, a briga pela ponta seguia com Dimitris Katsouropoulou (#131), da Tecfil Racing Team, na frente e Rodrigo Dazzi diminuindo constantemente a vantagem. Na oitava volta, o piloto da equipe Giro Moto já havia feito a ultrapassagem e assumido a primeira colocação. Guto entrou no embalo e, no final da Reta dos Boxes, tomou o lugar de Dimitris.

Guto Figueiredo acelerou forte e fez o melhor tempo da corrida na volta final, 1m43s516, e encostou de vez em Rodrigo Dazzi. Os dois pilotos completaram a último volta e entraram praticamente lado a lado na Reta dos Boxes. Guto Figueiredo recebeu a bandeirada apenas dois centésimos à frente do adversário. Já o piloto capixaba, Rodrigo Dazzi, terminou a prova na segunda colocação.

Dimitris Katsouropoulou, que havia sido ultrapassado pelos dois ponteiros, cruzou a linha de chegada em terceiro. Já Felipe Comerlatto fez uma prova constante e ficou com a quarta posição. Bem atrás deste primeiro grupo de pilotos, Marcos Migliorelli (#11), da equipe Everson Racing, completou o pódio com o quinto lugar.

Pela categoria SuperBike Light Master, o vencedor foi Guilherme Oliveira Neto. O piloto conseguiu recuperar posições após o problema com sua moto na largada e terminou a prova na sétima posição da classificação geral. Enquanto isso, Antonio Telvio (#5) garantiu a vice-liderança da categoria, logo à frente de Marcos Ramalho (#9), da Pitico Racing Team, em terceiro. Sergio H. Hidani (#135), da Misano Racing, foi quarto a cruzar a linha de chegada, seguido por Nelson de Oliveira (#145), da equipe Os impossíveis, na quinta colocação.

Copa Ninja 600

Na Copa Kawasaki Ninja 600, o piloto Felipe Diniz “Bolinha” (#121), da equipe MotoSchool Racing Team, levou a melhor sobre os adversários e faturou a primeira colocação na corrida. Bolinha já vinha despontando entre os ponteiros ao longo de todos os treinos, porém, ainda sem alcançar a liderança. A briga estava acirrada. Nas sessões livres, o piloto da equipe MotoSchool Racing Team foi o terceiro mais rápido. Já nas classificatórias, conseguiu obter a segunda marca e largar primeira fila na corrida deste domingo.

Na prova, válida pela 3ª Etapa do SuperBike Brasil, Bolinha conseguiu superar os adversários. O piloto travou uma verdadeira batalha com Bruno Rodrigues (#30), da equipe Tecfil Racing Team. A decisão de quem seria o vencedor saiu apenas na volta final. Bolinha recebeu a bandeira quadriculada em primeiro, apenas dois décimos à frente de Bruno Rodrigues, que levou a vice-liderança.

Samara Andrade (#74), da equipe Moretti Racing Team, foi a terceira colocada. A piloto – que se recupera de uma lesão no braço – não conseguiu imprimir o seu melhor ritmo e terminou a prova 14 segundos atrás dos ponteiros. Ricardo Barlette (#33), da equipe Boi Motos Racing, obteve o quarto lugar, logo à frente de Luigi Maffei (#300), da RF Racing, que completou o pódio na quinta posição.

Copa Honda CBR 500R

José Duarte (#97), da equipe Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, venceu a 3ª Etapa da Copa Honda CBR 500R. O piloto fez uma corrida praticamente sem erros. Já largada, ganhou uma posição e assumiu a ponta. Na primeira metade da prova, Duarte imprimiu um ritmo forte e abriu vantagem para os adversários que vinham logo atrás.

Sem grandes sustos, o piloto da equipe Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, correu com a tranquilidade de ter quatro segundos sobre o vice-líder. Nas voltas finais, afrouxou um pouco o acelerador e foi, gradativamente, alcançado por Leonardo Tamburro (#53), da Honda MotoSchool de Talentos, e por Arthur Costa (#99), da Alemão Pneus, que brigavam pela segunda colocação. Os adversários chegaram a fazer contato visual com o ponteiro, entretanto, não o suficiente para tirar a vitória de José Duarte, que cruzou a linha de chegada em primeiro.

Tamburro conseguiu abrir uma pequena vantagem para Arthur Costa na volta final e ficou com a vice-liderança. Já o piloto da equipe Alemão Pneus faturou o terceiro lugar. Num ritmo mais lento que os ponteiros, Guilherme Brito (#19), da equipe Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, foi o quarto a cruzar a linha de chegada, logo à frente de Davi Gomide (#31), da MotoSchool Racing Team, em quinto.

Pela categoria Copa Honda CBR 500R Light, o vencedor foi Rafael Rigueiro (#52), da MotoSchool Racing Team, o sexto no geral. Luis da Silva (#74) faturou a vice-liderança, seguido por Linda Raad (#49), da Moretti Racing, em terceiro e por Alexandre Dal’ Olio Franca (#82), da Fullmann SuperBike, em quarto.

Já na briga pela Copa Honda CBR 500R Teen, Guilherme Brito faturou o lugar mais alto do pódio. Davi Gomide ficou com a segunda posição logo à frente de Rafael Rigueiro, em terceiro, e de Maria Fernanda Rocha (#22), da Fullmann SuperBike, em quarto.

Junior Cup

Em uma corrida definida apenas nos metros finais, Lincoln Lima Melo (#29) venceu a 2ª Etapa da categoria-escola Honda Junior Cup, prova realizada na manhã deste domingo (12), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

O jovem piloto largou na terceira colocação do grid. Já nas primeiras voltas, integrou um pelotão que abriu e ampliou, continuamente, vantagem para os demais adversários. Ao todo, quatro pilotos se desgarraram à frente e brigaram durante toda a prova pela liderança. Léo Marin (#46) vinha na liderança, com uma pequena vantagem para Nicolas Cenedesi (#525), Leopoldo Manella (#53) e Lincoln, estes últimos três que revezam a segunda posição.

Este cenário se repetiu até a oitava e última volta. Léo Marin mantinha a ponta desde a largada e conseguia se defender dos ataques furtivos dos três adversários. Porém, o surgimento de alguns retardatários apimentou essa briga. Já na curva do ‘Bico de Pato’, Marin acabou sendo prejudicado por alguns adversários mais lentos e foi ultrapassado. Com isso, Nicolas Cenedesi assumiu a colocação, porém, temporariamente. Restando poucos metros para o fim da prova, já na Reta dos Boxes, Lincoln tomou a ponta e venceu a corrida por uma vantagem de apenas sete centésimos. Já Cenedesi ficou com a segunda colocação.

Leopoldo Manella também tirou proveito dos retardatários e faturou o terceiro lugar, logo à frente de Léo Marin, que por infelicidade, caiu para a quarta posição. Completando o pódio, Mario Salles (#42) ganhou três posições em relação à largada e foi o quinto a cruzar a linha de chegada.

Ninja 300

Na Copa Kawasaki Ninja 300, realizada no início da tarde deste domingo (12), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Se a corrida pode ser definida de alguma forma foi pela indefinição total até os segundos finais e pelas constantes trocas de posições.

A prova foi marcada por um grande pelotão – que em momentos chegou a contar com 10 pilotos – que se desgarrou dos demais adversários e alternou a liderança da corrida. Sandro Paganelli (#64), da equipe Paganelli Racing, levou a melhor nessa acirradíssima e imprevisível disputa e venceu a prova.

O piloto realizou uma ótima etapa. Já nos treinos classificatórios, garantiu a primeira posição no grid de largada, o que não significou muito para o resultado final. Ao longo da corrida, Paganelli foi um dos líderes que ficou mais tempo na primeira colocação. Com a queda de Bruno Cesar Borges (#51), da equipe Gilberto Motos, na volta final, o piloto da equipe Paganelli Racing retomou a ponta e sustentou a posição até cruzar a linha de chegada e faturar o lugar mais alto do pódio.

A última volta também definiu o resultado nas demais posições. Fernando Santos (#234), da equipe Tecfil Racing Team, acabou ficando com a vice-liderança, logo à frente de Fábio Jandaia (#10), da Motocar Racing, em terceiro, e de Indiana Muñoz Gomes (#199), da Castrol Racing, em quarto. Vale ressaltar que os quatro pilotos cruzaram a linha de chegada praticamente juntos, com uma diferença entre eles inferior a três décimos de segundo.

Um pouco atrás deste primeiro pelotão, Mauricio Mendes Nogueira (#22), da equipe Moretti Racing Team, recebeu a bandeira quadriculada e encerrou a prova na quinta posição.

Já pela categoria Copa Kawasaki Ninja 300 Light, o vencedor foi Bruno Ribeiro (#169), da equipe Rota Baus. A segunda posição na corrida ficou com Jeferson Souza (#707), da Tecfil Racing Team, seguido por Enzo Valentim Garcia (#29), da FastKids, em terceiro. Derick Rene Litano Filipini (#227), da equipe Castrol Team, encerrou a prova na quarta colocação, logo à frente de Bervaldo Carolino (#2), da Tecfil Racing Team, que completou o pódio em quinto.

SuperStreet

Disputas acirradas na 3ª Etapa da categoria SuperStreet. Diogo Moreira (#20), da equipe Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros, levou sorte e garantiu a vitória nos metros finais da última volta. O piloto largou em terceiro e seguiu na posição ao longo de toda a corrida. Ele seguia no ritmo dos ponteiros, Eliton Kawakami (#27), da equipe Playstation Yamaha, e Rafael Gomes Traldi (#128), da Motonil Motors, e acompanhava de pertinho o revezamento dos dois na liderança. Quase que como um coadjuvante, Diogo sustentava a terceira posição, isso com uma ampla margem de vantagem para o pelotão que vinha atrás.

Na última volta, a sorte brilhou para o jovem piloto da equipe Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros. Rafael Traldi cometeu um erro enquanto se defendia dos ataques contínuos de Eliton Kawakami, e acabou caindo sozinho ao perder a frente numa curva. Com isso, Eliton assumiu a ponta, e Diogo ficou com a vice-liderança. Essa configuração se manteve até a subida da reta final. Diogo foi beneficiado pelo vácuo. Ele colou na traseira do adversário e conseguiu cruzar a linha de chegada dois centésimos à frente para comemorar a vitória. Já Eliton Kawakami terminou a prova na segunda colocação.

Com a queda de Rafael Traldi, Mauricio Mendes (#22), da equipe Moretti Racing Team, que liderava o segundo pelotão, acabou ficando com a terceira colocação. Niko Ramos (#822), da Tecfil Racing Team, chegou logo atrás, em quarto, e Indiana Muñoz Gomes (#199), da Castrol Racing, completou o pódio da categoria SuperStreet, com o quinto lugar.

Pela categoria Yamaha R3 Cup, Sarah Conessa de Moura (#5), da equipe Cerciari Racing School, foi a grande vencedora. A piloto se beneficiou da queda de Rafael Traldi – que também disputa a corrida pela categoria – e tomou a ponta. Marciano Santin (#9), da equipe SantinRacing, fechou o segundo lugar no pódio e Traldi, que conseguiu trazer a moto de volta para a pista, ficou com a terceira posição.

-Informações e imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *