Teste: CB 250F Twister 2019

São Paulo (SP) – A linha 2019 da Honda CB 250F Twister recebeu poucas novidades em relação ao modelo 2018, como painel blackout e lanterna traseira e piscas de LED. Além disso, versão de entrada básica tem agora freios combinados CBS e manteve o preço público sugerido do ano passado de R$ 13.990.

A topo de linha, com ABS, manteve os sugeridos R$ 14.990, ganhou grafismo diferenciado e a polêmica cor laranja, “marca” da KTM. A montadora japonesa avisa que a cor é uma homenagem à Honda Racing no MotoGP e ao multicampeão Marc Marquéz. Diz que a tonalidade vai predominar os modelos desta temporada e que isso já começou com a linha 500cc 2019.

Em tese, a motorização mantida da versão anterior, pode oferecer até 136 Km/h como velocidade máxima em condições bastante favoráveis de pista ou tamanho e peso do piloto, por exemplo. No test ride patrocinado pela montadora para a imprensa especializada, em pista isolada, com reta curta, com piloto de cerca de 100 quilos e 1,90 de altura, a moto de 137 quilos de peso seco chegou ao máximo de 123 km/h. Se a pista fosse um pouco mais além, poderia ter chegado perto dos 130 km/h nessas condições.

O motor monocilíndrico 4 tempos arrefecido a ar de 249,5 cm3, com comando de válvulas simples no cabeçote (OHC – Overhead Camshaft) de quatro válvulas e alimentado pela injeção eletrônica de combustível PGM-Fi (Programmed Fuel Injection). Com tecnologia biombustível FlexOne, tem potência máxima de 22,4 cv a 7.500 rpm quando abastecido com gasolina e 22,6 cv a 7.500 rpm alimentado com etanol. O torque é de 2,28 kgf.m a 6.000 rpm quando abastecido com etanol e 2,24 kgf.m a 6.000 rpm quando abastecido com gasolina.

Outro quesito positivo mantido pela montadora para o modelo é o pneu radial Pirelli Diablo Rosso 110/70 – 17, na frente, e 140/70 – 17, na traseira. O conjunto dá bastante segurança para realizar curvas um pouco mais esportivas respeitando as possibilidades de uma moto construída para rodar principalmente na cidade e pequenas viagens em rodovias bem asfaltadas.

Na versão 2019 o painel passa a oferecer duas novas informações, de consumo médio e instantâneo. No teste de MotoMovimento, o consumo final depois de cerca de 70 quilômetros de vias na cidade e um pequeno trecho de estrada ficou em 31,9 Km/l. Além da cor laranja, a linha tem vermelha com freios ABS ou CBS além de prata metálico e branco exclusivamente na versão de entrada CBS.

Leia também:
+ Produção de motocicletas cresce 31,4% em agosto, diz Abraciclo
+ A Honda renovou a CB Twister para 2019 com CBS no modelo de entrada
+ BMW prepara mudanças radicais no modelo 2019 da S 1000RR
+ Harley LiveWire 2019, a nova moto elétrica HD
+ Nova Softail FXDR 114 com característica esportiva
+ Harley-Davidson prepara novos modelos para 2020
+ Kawasaki Z 900RS tem versão retrô por R$ 49.990
+ Teste: Honda NC 750X. Moto eficiente e confortável

O Combined Brake System (CBS) que equipa agora a versão de entrada da Twister, já acompanha a exigência da legislação federal brasileira que passa a exigir, a partir de 2019, sistemas de freios para motocicletas de até 300cc, que saírem de fábrica a partir daquele ano, com CBS ou ABS. Nas motocicletas dotadas do CBS, ao pressionar o pedal, parte da força de frenagem é enviada ao disco dianteiro.

Deste modo, quando o motociclista age em ambos os comandos – pedal e manete – a redução da velocidade se dá de maneira mais homogênea e segura em espaços menores, e com menor possibilidade de desestabilização. Isso ajuda bastante motociclistas com menos experiência que são treinados erroneamente, inclusive nas motoescolas, a utilizar somente o freio traseiro.

Especificações técnicas

Motor

– Tipo: OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar
– Cilindrada: 249,5 cc
– Potência máxima: 22,4 cv a 7.500 rpm (gasolina) / 22,6 cv a 7.500 rpm (etanol)
– Torque máximo: 2,24 kgf.m a 6.000 rpm (gasolina) / 2,28 kgf.m a 6.000 rpm (etanol)
– Transmissão: 6 velocidades
– Sistema de partida: elétrico
– Diâmetro x curso: 71,0 x 63,0 mm
– Relação de compressão: 9,6:1
– Sistema alimentação: injeção eletrônica PGM-FI
– Combustível: gasolina e/ou etanol

Sistema elétrico

Ignição: eletrônica
Bateria: 12V – 5 Ah
Farol: 60/55 W

Capacidades

Tanque de combustível: 16,5 litros
Óleo do motor: 1,8 litro

Dimensões

Comprimento x largura x altura: 2065 x 753 x 1072 mm
Distância entre eixos: 1386 mm
Distância mínima do solo: 192 mm
Altura do assento: 784 mm
Peso seco: 137 kg

Chassi

Tipo: Diamond frame
Suspensão dianteira/curso: garfo telescópico / 130 mm
Suspensão traseira/curso: mono shock / 108 mm
Freio dianteiro/diâmetro: a disco / 276 mm
Freio traseiro/diâmetro: a disco / 220 mm
Pneu dianteiro: 110/70 – 17
Pneu traseiro: 140/70 – 17

-Informações e imagens: divulgação/MotoMovimento-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *