Teste: Harley-Davidson Roadster 1200

Atual aposta da Harley-Davidson na proposta esportiva da marca, a Roadster 1200 é uma moto a ser domada. Da família Sportster, tem motor de dois cilindros refrigerado a ar com 1.202 cc e torque de 9,6 kgfm a 3.500rpm a deixa impaciente na cidade. No teste de MotoMovimento, no trânsito de São Paulo, o modelo pede aceleração constantemente. A saída é controlar o tempo todo na embreagem e usar praticamente a primeira das cinco marchas na condução. Em segunda, no movimento muito devagar, ela sai pulando. O preço parte de R$ 48.600.

Na estrada, o sentimento é de liberdade. Guidão largo e baixo que deixa o piloto sentado e pedaleiras centralizadas, apesar da proposta esportiva, ajudam no conforto em um banco que poderia ser um pouco menos rígido. Dá para fazer 400 km de estrada, com um reabastecimento. Como a proposta é remeter o modelo para as motos de corrida da montadora norte-americana nos anos 60, a tecnologia é limitada.

O tanque de 12,5 litros não conta com medidor de combustível no painel. Com média de consumo de 18 km/l, é preciso estar atento aos postos de gasolina ao longo da rodovia. O aviso de reabastecimento é uma luzinha amarela em forma de bomba de posto que liga quando o volume de combustível entra na reserva de cerca de três litros.

A estrada também reduz o calor que o motor apresenta na cidade, assim como a vibração nas paradas. Na rodovia, o modelo vai bem, sem vibração, confortável aos três mil giros a 100 km/h. Subindo a aceleração, apesar dos 259 quilos quando completamente abastecido, tem turbulência principalmente nas passagens ao lado de caminhões. É principalmente o resultado do estilo guidão largo e peito aberto para o vento.

Leia mais:
+ Harley-Davidson promove a nova Roadster 1200. MotoMovimento realiza teste

Leia também:
+ Caixa abre financiamento para motocicletas
+ Yamaha XJN 2018 chega com novas cores azul e cinza
+ Ducati anuncia venda compartilhada de quatro modelos no Brasil
+ Calendário MotoMovimento para festas e eventos de julho de 2017
+ Produção de motocicletas mantém queda em fevereiro
+ Harley-Davidson lança novo modelo Street Rod 750
+ Ducati lança curso para pilotagem off road com descontos para ducatistas
+ Campeonato Brasileiro de Supermoto 2017 abre temporada
+ Ducati abre segunda concessionária em São Paulo
+ Yamaha Tricity 125 é estável e essencialmente urbana

Nos freios, bons discos duplos 299,72 mm cada, com ABS, dissipam aquela impressão de moto custom não parar com eficiência. As suspensões de 114,3 mm invertida na dianteira e 81,28 mm com duas molas laterais na traseira também garantem conforto, mesmo na cidade com seus buracos e imperfeições no asfalto.

O espaço para garupa é aquela história de sempre dos modelos custom. Sem um sissy bar apoiando as costas da ou do acompanhante, é impraticável. O desenho do banco acompanhando o para-lama praticamente expulsa quem está atrás. A pedaleira do garupa fica sobre um dos dois canos do escapamento antes da proteção lateral de dispersão de calor que o modelo tem nos escapamentos. Já a pedaleira do piloto é bem larga. Isso exige abrir bem as pernas ao parar para não ser atrapalhado pela pedaleira no apoio para manter a moto em pé.

Na informação, o painel de instrumentos conta com velocímetro eletrônico, hodômetro total, relógio, hodômetro parcial duplo, luzes indicadoras de LED e indicador de marcha e rpm.

-Informações e imagens: MotoMovimento-

9 comentários em “Teste: Harley-Davidson Roadster 1200

  1. Detalhe: escolhendo bem, consegue-se usadas em ótimo estado por um preço bem mais acessível. As minhas comprei semi-novas. Importante é não fazer dívidas. Harley realmente chama a atenção por onde passa, mas a boulevard m800 também é bonita e uma excelente moto para quem gosta do estilo custom. Cheguei a ficar na dúvida em qual iria escolher. Há ainda outras boas escolhas dentro do seguimento.

  2. Caros, vocês que sonham em adquirir uma Harley ou mesmo outras customs. Não desistam. Hoje tenho uma Harley 1200 CA e uma Ténéré 250. Mas nem sempre foi assim. Lutei muito, não tive moleza na vida. Esse sonho foi conquistado depois de muitos anos. Hoje já passei dos 50. Ainda tenho bastante disposição, pois sempre pratiquei muita atividade física, mas as conquistas demoraram a chegar. Embora não seja rico, hoje consigo manter-me com certa dignidade. O conselho: não desistam nem pensem que será inatingível, mas também não cometam loucuras por uma moto ou qualquer outro bem material. Quanto à Harley, tem ótimas qualidades como estilo, acabamento superior a maioria, muito torque e robustez. Mas o conforto não é dos melhores. É preciso investir na suspensão. O desempenho é bom, mas inferior as mais modernas. Enfim, tem qualidades e defeitos também. Experimente e escolha conciliando a razão à emoção. Ouça opiniões mas quem decide é você mesmo! Por isso é tão pessoal. Abraços a todos!

  3. A moto é bonita com certeza, mas sinceramente não vejo vantagens nenhuma em trocar uma sportster 883 por exemplo na Roadster 1200cc a não ser suspensão dianteira invertida.
    Quem sabe se o valor fosse um pouco mas atrativo… mesmo assim eu não iria… acredito que esse modelo não ira colar… hoje por 50 mil você acha uma Breakout 2015.

  4. Bem, uma Harley sempre será uma Harley e, esta aí é qualquer coisa de maravilhosa, fantástica!
    É, é mesmo um sonho, eu sou apaixonado por motos. mas, como infelizmente e lamentavelmente eu não tenho a minima condições de ter uma moto, esse meu sonho se tornou em um pesadelo, eu até consegui adquirir uma velha moto que não anda, um motor honda 125 no quadro da antiga harley 125, mas devido as minhas condições financeiras, não vejo nenhuma perspectiva em fazer ela andar, pois está precisando de uma reforma geral e não tenho como fazer isso, inclusive já estou até pensando, muito triste, em desistir de tudo e jogar fora a minha velha moto que esta no estilo chopper, é nós pobres não temos chance para nada e nem de sonhar, sempre ficamos de fora mesmo neste mundo! Fazer o que!!!!!
    Obrigado pela atenção!

    1. Caro, Jorge. A vida é movida por paixões. Percebo o quanto você gosta de motos pelo comentário. O que posso te dizer é: se você realmente quiser, um dia, eu te garanto, você vai sentir o prazer do vento no peito enquanto pilota sua motoca. Siga em frente, companheiro.

  5. A moto é linda …mas sem radiador é inviável pra andar na cidade… na estrada tudo bem …sendo assim continuo com a minha Shadow

  6. Adorei a motocicleta más pra mim não dá, eu tenho uma humilde Shadow 1997/98 Verde /Preta, uma HD e fora do contesto.
    Por enquanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *