Teste: Honda NC 750X

São Paulo (SP) – A crossover Honda NC 750X é uma moto eficiente que oferece conforto e confiança em estradas e agilidade na cidade. Com banco generoso para piloto e garupa, venceu com tranquilidade 400 quilômetros de rodovias asfaltadas rodados de uma vez no teste de MotoMovimento. O consumo ficou em 30 km/l, na média, dependendo da aceleração mais ou menos agressiva. No momento, com ABS de série, tem preço público sugerido de R$ 32.500.

O motor tipo OHC, dois cilindros, 4 tempos, refrigeração líquida, com 745 cc, tem potência máxima de 54,5 cv a 6.250 rpm que permite boas retomadas além de justas arrancadas com o torque máximo e 6,94 kgf.m logo aos 4.750 rpm, no conjunto de seis velocidades e transmissão final por corrente. Com peso seco de 210 quilos e tanque de combustível para até 14,1 litros (2,9 litros para a reserva) beira os 180 km/h já com alguma instabilidade que fica menos perceptível com garupa. Já aos cerca de 3.500 giros, vai muito muito bem passeando aos 120 km/h.

Na curvas da serra, recebe bem as curvas nas rodas de 17 polegadas com pneu dianteiro 120/70 e traseiro 160/60. Os freios são bem calibrados para a proposta com disco de 320mm na frente e disco de 240mm na roda traseira. A suspensão dianteira é garfo telescópico de 153,5mm de curso e a traseira Pro-Link de 150mm, com regulagens. Voltado para o uso urbano e estradeiro, o modelo não tem pretensões de uso off road mas vence com cautela pistas de terra bem conservadas.

Na aparência, é uma moto vistosa, com 2.228mm de comprimento, 844mm de largura e 1.353 mm de altura. A altura do banco, no entanto, fica em 832 mm, que ajuda na pilotagem de quem é mais baixo. A posição de pilotagem ereta permite bom encaixe das pernas do piloto na carenagem. Mesmo alta e larga, a crossover vai em frente na cidade onde apresenta comportamento ágil no trânsito pesado respeitando os limites de seus 1.534 mm de distância entre-eixos.

Leia também:
+ Estratégias Harley-Davidson para 2020 tem modelos inéditos e média cilindrada
+ Recall BMW para G 310 GS e R
+ Teste Kawasaki Versys-X 300. Motor agrada na pequena aventureira
+ Teste: BMW G 310GS. Aventureira eficiente na cidade
+ Piaggio MP3 renovada com versões 350cc e 500cc
+ Versões 2019 dos modelos Honda CB 650F e a CBR 650F com novas cores
+ BMW Group anuncia produção nacional da nova família F em sua fábrica de Manaus
+ Teste: Yamaha Crosser 150 Z. Visual convida para a terra
+ Kawasaki Z 900RS. No Brasil, por R$ 48.990

O tanque deslocado para debaixo do banco permitiu que a montadora japonesa criasse um porta-capacete com capacidade para até 22 litros no local normalmente fica o depósito de combustíveis das motos. É uma boa ajuda para bagagens nas viagens e transporte de produtos na cidade. O acesso ao bocal está instalado sob banco do garupa que abre no giro contrário da chave de ignição. O para-brisa alto oferece boa proteção contra o vento e pouca chuva e a iluminação é de LED. O painel de instrumentos é digital e colorido.

-Informações e imagens – MotoMovimento-

2 comentários em “Teste: Honda NC 750X

  1. Tenho uma a 10 meses.já está na casa dos 20.000km
    O problema ainda e peças de reposição
    Muito caras .
    Quebrou o bacalhau numa queda e um lado custa quase 2 mil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *