Versão 2016 da linha 500cc

A Honda apresentou, no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu, interior paulista, a versão 2016 da linha 500cc. Os modelos naked CB 500F, esportivo CBR 500R e crossover CB 500X compartilham mais de 50% de seus componentes mas apresentam comportamentos distintos. O mais evidente deles é o conforto da versão X, preparada para longas viagens. A motorização das três continua a mesma de quatro tempos e 471 cm3 – DOHC (Double Over Head Camshaft) -, com duplo comando de válvulas no cabeçote, quatro válvulas por cilindro e arrefecimento a líquido. O conjunto desenvolve potência máxima de 50,4 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 4,55kgf.m a 7.000 rpm.

Nas principais mudanças, a F ficou mais “musculosa” com estilo streetfighter com tanque maior que o modelo anterior, de 15,7 litros para 16,7 litros. Assim como a R, também com tanque maior, recebeu ainda um novo escapamento com ronco mais esportivo. Na X, o para-brisa aumentou cinco centímetros e o tanque passou de ,3 para 17,7 litros. Nas três são utilizados faróis de lanternas de LED

Entre as mudanças compartilhadas está a troca de pneus Pirelli por Dunlop. A linha traz rodas de liga leve de 17 polegadas e pneus 120/70-ZR17M/C (dianteira) e 160/60-ZR17M/C (traseira). A troca é uma determinação global da marca japonesa depois da negociação com fornecedores de pneus que, segundo a montadora no Brasil, contribuiu para a reduzir a composição do preço dos modelos no País. O Dunlop tem um composto mais duro que o diferencia do Pirelli utilizado anteriormente e dependendo da pilotagem pode ter mais durabilidade.

A linha 500cc compartilha ainda o mesmo chassi do tipo Diamond Frame, produzido em tubos de aço em treliça. Isso deixa os modelos bastante maleáveis. Contribui para isso também a suspensão dianteira com garfo telescópico ajustável, a traseira (Pro-Link) também com um novo ajuste. No teste ride oferecido pela fábrica no lançamento dos modelos em Mogi Guaçu todas estavam com regulagem de fábrica, que é sempre a opção intermediária entre a mais macia e a mais dura. Nessa configuração, os modelos apresentaram comportamento muito parecido e estável. Nos freios, discos simples na frente e atrás com 320 mm e 240 mm, respectivamente.

Leia também:
+ Canadense BRP abre revenda em João Pessoa (PB)
+ KTM Duke Tour Brasil 2016, em São Paulo
+ Jean Ramos vence 2ª Etapa do Brasileiro de Motocross PRÓ
+ Rafael Fonseca vence segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Supermoto
+ Fiddle III: Novo scooter retrô da Dafra
+ Honda GL 1800 Gold Wing tem recall para air bag
+ Triumph inicia pré-venda do novo modelo Speed Triple R no Brasil
+ Yamaha promove R3 com Kit Sport Red #99
+ BRP abre concessionária no sul da Bahia
+ T12 Massimo. Última obra de Tamburini
+ Indian abre loja temporária em Campinas (SP)
+ Teste Honda SH 300i
+ Harley-Davidson convoca recall para 196 unidades da Low Rider

Os três modelos contam com painel de instrumentos digital com velocímetro, conta-giros por gráfico de barras, relógio, hodômetro (total e parcial), consumo de combustível (instantâneo e média), além de indicadores de diagnóstico do motor.

Nos preços, a versão CB 500F na cor preto fosco sem ABS tem preço público sugerido de R$ 26.000. Na mesma cor, com o sistema de freios antiderrapante passa para R$ 28.000. Os mesmos R$ 28 mil valem para a F em vermelho e branco, também com ABS. Já a CBR 500R em vermelho e preto também com ABS tem preço ficado pela fábrica por R$ 29.000 e a CB 500X com ABS branca e vermelha R$ 29.900.

A Honda oferece para a linha 500cc têm três anos de garantia, sem limite de quilometragem e o programa de assistência Honda Assistance 24h durante o período de vigência da garantia (3 anos) em todo o território nacional e em países do Mercosul.

-Imagens: Caio Mattos-

3 comentários em “Versão 2016 da linha 500cc

  1. Sem dúvida as motos são ótimas. Muito boa de pilotar e tudo mais.
    Mas esse preço deveria vir de série o freio ABS com o valor da standart.
    Quer saber? Vou continuar no mercado de seminovas.

  2. No exterior a Honda lançou diversas outras cores como branco com adesivos em vermelho, preto com adesivos em amarelo, vermelho com adesivos em branco, preto fosco, preto brilhante. Só não sei porque neste país lançaram somente as cores branco e vermelho mesmo sendo a moto conhecida do público brasileiro. Outrossim, informação não divulgada é que a suspensão dianteira diminuiu de 5,5 polegadas para 4,9 polegadas (13,97 para 12,44 centímetros) ou seja, vem contra a proposta big ou trail. Estive esperando o lançamento por longos meses mas não comprarei nem branco nem vermelho e se não lançarem outra cor não comprarei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *