Linha Ténéré fabricada no Brasil

A linha Ténéré versão 2014/2015 da japonesa Yamaha passa a ser fabricada agora no Brasil. Tanto a XTZ 250 Ténéré, como a XT 660Z Ténéré e a XT 1200Z Super Ténéré estarão disponíveis na rede de revenda Yamaha a partir da segunda quinzena de junho. Os preços sugeridos são, respectivamente, R$ 13.620, R$ 32.990 e R$ 55.990 (versão standard) e R$ 61.990 na versão deluxe para a Super.

A XTZ 250 Ténéré é equipada com o motor de 250 cilindradas, duas válvulas e 4 tempos que imprimem 21 cavalos de força e arrefecido a ar. A XTZ 250 Ténéré conta com válvulas e corrente de comando de funcionamento silencioso, engrenagem compensada com mola amortecedora junto ao eixo balanceador, freio a disco de 245 mm de diâmetro na roda dianteira e 203 mm na traseira, com pinça de dois pistões, melhorado pela adoção de uma mangueira em borracha mais curta e com malha de cobre na extremidade. O modelo 2015 da XTZ 250 Ténéré tem novas cores azul, cinza e vermelha.

A XT 660 Z Ténéré conta com semi-carenagem aliada com o para-brisa. O tanque de combustível tem 23 litros de capacidade e seu assento duplo mantém o piloto bem posicionado, com a coluna ereta, garante a Yamaha. A XT 660 Z Ténéré vem agora com freio ABS (antitravamento).

Agora fabricada em Manaus, a Super Ténéré conta com motor bicilíndrico, com o ganho de 2 cavalos na nova versão, totalizando 112cv. Ela vem com controle de tração, sistema de freios ABS linear (com capacidade de infinitos ajustes de pressão hidráulica) adotado para dar suporte à frenagem quando elas devem ser feitas bruscamente ou ao encontrar mudanças repentinas de terreno. A motocicleta, em ambas as versões, conta com nova mesa de alumínio, mais leve, bagageiro triplo e computador de bordo (que traz informações no painel de LCD como o consumo médio e instantâneo de combustível, temperatura do líquido refrigerante, temperatura de entrada de ar, odômetro total e dois parciais, D-Mode e tomada de 12 Volts).

A altura do banco e do para-brisa é regulável manualmente, dispensando a utilização de ferramentas. O para-brisa foi redesenhado para providenciar mais proteção contra o vento e menos poluição sonora. A posição do guidão está 10mm mais próxima ao piloto deixando a pilotagem ainda mais confortável.

Leia também:
+ Iniciada importação da S 1000 R e da Nine T
+ Linha Hypermotard chega no Brasil
+ Nova V-Strom DL 1000 com ABS
+ Multistrada agora é montada em Manaus

A versão 2015 tem câmbio de 6 marchas e o sistema YCC-T (Yamaha Chip Controlled Throttle) que entrega um controle otimizado de aceleração e torque, extraindo o máximo do tempo de ignição, injeção de combustível, providenciando uma resposta suave, trazendo uma sensação de mais controle ao piloto. O Drive “D”-Mode foi recalibrado para providenciar uma diferença mais notável entre o Touring “T”– Mode e o Sport “S”- Mode.

A XT 1200Z Super Ténéré está disponível em duas versões: Deluxe e Standard. Na versão Standard, a Super Ténéré passa a ter de série o piloto automático, ajuste de bolha, piscas em LED, indicador de marcha, suporte para GPS.

Na versão Deluxe, além dos itens de série, a big-trail da Yamaha conta com suspensão eletrônica controlada no comando situado no guidão, com quatro posições pré-programadas e outras 14 ajustáveis, fazendo a moto se adaptar para cada piloto. A moto tem aquecedor de manopla, freios ABS e UBS (que permite frear as duas rodas no mesmo instante

-Imagens e informações: divulgação-

10 comentários em “Linha Ténéré fabricada no Brasil

    1. Olá Roberto. No Brasil, o modelo 1200 é vendido nas cores cinza ou azul. As mesmas duas para a 660. A 250 tem quatro cores: vermelho, branco, azul e cinza.

  1. Porque não trazem a XT660X da Europa para o Brasil? Ia vender igual água pois, não tem concorrente. Eu seria um dos primeiros a comprar. Tenho uma XT660R supermotard e gosto muito do estilo.

  2. A Yamaha é D+. Está linda e maravilhosa a máquina, e o peso fantástico. Vou procurar comprar uma, vou mudar meu estilo de pilotagem. Fiquei apaixonado pela moto.

  3. Tenho uma super ténéré 250cc, estou muito contente com ela, fique supreso com a ciclista.
    Já tive uma xt 660, esperava que a ténéré 660cc tiver-se dois cilindro, ai sim seria uma excelente moto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *