Mercado mantém retração

Mercado: O mês de agosto de 2014 registrou queda de 17,8% na produção de motocicletas ante o mesmo mês do ano passado. Segundo levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), foram fabricadas 157.854 motocicletas em 2013. Já as vendas no atacado, no período analisado, apresentaram queda de 6,8%, com 129.774 unidades emplacadas em 2013.

Já na comparação agosto desse ano com julho de 2014, a queda na produção foi de 4,2%. Foram montadas 129.768 motocicletas, no mês passado, e 135.504, no mês anterior. Nesse período de comparação, as vendas no atacado cresceram 7%, passando de 103.023 unidades (julho) para 120.936 (agosto).

No acumulado do ano, a retração se mantém. A produção registrou declínio de 7%, passando de 1.112.472 unidades, nos primeiros oito meses de 2013, para 1.034.885, no mesmo período de 2014. A comercialização para as concessionárias contou com recuo de 9,6%, com 950.743 (2014) contra 1.052.200 (2013) motocicletas comercializadas.

As exportações registraram alta de 26,7% na comparação entre agosto e julho, com 9.530 unidades ante 7.519. Porém, com relação ao mesmo mês de 2013, a queda foi de 31,6% (13.941). No acumulado do ano, com 68.264 contra 62.468 unidades comercializadas, o decréscimo registrado foi de 8,5%.

Vendas diárias

No acumulado do varejo de janeiro a agosto, os emplacamentos ficaram 6,1% inferiores ao volume registrado nos primeiros oito meses de 2013, com 1.011.528 contra 949.921 unidades. Em agosto foram emplacadas 111.291 unidades, volume 8% abaixo de julho (121.012 unidades). Na comparação com o mesmo período de 2013 (129.050 unidades), o recuo foi de 13,8%. A média diária de vendas de agosto, que teve 21 dias úteis, ficou em 5.300 unidades, volume apenas 0,73% superior ao de julho (5.261 unidades), que contou com 23 dias de comercialização. Em comparação com agosto de 2013 (média diária de 5.886 unidades), com 22 dias de vendas, houve redução de 9,65%.

“Os resultados de agosto ficaram abaixo das expectativas, com as vendas no varejo muito inferiores à média diária prevista de 6 mil unidades. Isso mostra que as recentes medidas de estímulo anunciadas pelo governo federal ainda não repercutiram no mercado e, além disso, persistem as dificuldades de comercialização, sobretudo relacionadas à seletividade na concessão de crédito. Vamos aguardar os resultados efetivos dessas medidas para setembro, para que o mercado, ao menos, retorne aos níveis de negócios habitualmente verificados no segundo semestre de anos anteriores”, avalia Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

-Imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *