O novo motor Milwaukee-Eight

São Paulo (SP) – A Harley-Davidson promove, anualmente, treinamentos específicos para a imprensa especializada em motociclismo e motocicletas sobre suas novas tecnologias. Em 2019, MotoMovimento participou da primeira turma do ano em um dia de curso sobre as principais características dos novos motores Milwaukee-Eight 2017 e 2018, no centro de treinamento da marca, no Senai/SP do bairro Ipiranga, em São Paulo.

O aspecto teórico é acompanhando de práticas de montagem e desmontagem do propulsor 2018 na versão 114 que exigem atenção. Os procedimentos exigem seguir à risca o manual eletrônico da montadora norte-americana que determina de que forma e quais ferramentas devem ser utilizadas para cada procedimento.

Em agosto de 2016, foram lançados os motores Milwaukee-Eight. Os primeiros, denominados Milwaukee-Eight A, foram introduzidos na família Touring, em 2017, em duas versões: refrigerados a óleo ou com líquido de arrefecimento. A novidade foi a introdução de um único came de excêntrico, quatro válvulas no cabeçote e um contrapeso sincronizado com a árvores de manivelas (balanceiro).

Mesmo com um contrapeso – que na rotação inversa do virabrequim, minimiza a vibração causada pelo movimento dos pistões -, a montadora manteve o uso de coxins – borrachas utilizadas na fixação do motor ao chassi. Os coxins ajudam a minimizar a transmissão da vibração do motor pra a moto.

Já em 2018 foi lançado o motor Milwaukee-Eight B para a família Softail nas versões 107 in³ (1.745 cm³) com 14,89 kgf.m de torque e 114 in³ (1.868 cm³) com torque de 16,1 kgfm. Esses motores receberam mais um contrapeso para atender à mudança do desenho do chassi de aço carbono para redução de peso da moto e fixação do conjunto motor e câmbio integrados (Powertrain), sem coxins. Essas alterações deixaram os modelos Softail com comportamento mais dinâmico e firme nas curvas, com melhor entrega de potência e menos calor nas pernas do piloto.

Até 2017, as motocicletas da famílias Dyna e Softail (que em naquele ano passou a incorporar os modelos Dyna) eram equipadas com motores Twin Cam “A” e “B” com 86 in³ (1.585 cm³ ) e 103 in³ (1.690 cm³). A versão B, instalada nas Softail, tinha um conjunto de contrapesos e não utilizava os coxins, diferente da linha A, dos extintos modelos Dyna, que não utilizava contrapesos e necessitavam das borrachas de junção do motor no chassi, o coxins. Os motores Twin Cam 96 e 103 compartilhavam a mesma configuração de quatro tempos, 45 graus em V e refrigerados a ar.

Os motores Milwaukee-Eight “A” e “B” tem os mesmos dois cilindros em V a 45 graus, duas velas em cada cilindro, um comando de válvulas localizado no bloco do motor e quatro válvulas, duas de admissão de duas de escape em cada cilindro. A ordem de ignição dos motores V2 são de 405º (360º + 45º) e 315º (360º – 45º), com fases de combustão alternada.

Leia também:
+ Abraciclo vê mercado 2019 em alta, mas no mesmo patamar de 2004
+ Ducati abre pré-venda da Panigale V 4R por R$ 250 mil
+ BMW abre as vendas da F 850 GS Adventure
+ Teste: Harley-Davidson Street Glide Special 2019
+ Estudo mostra intensidade de furtos e roubos de moto em SP
+ Ducati Campo Grande. 10ª concessionária da marca no Brasil
+ Royal Enfield abre loja em Brasília
+ MXF Motors lança novo modelo de minimoto de 105 cilindradas para competições
+ Produção de motocicletas em tem alta de 21,1% em fevereiro de 2019
+ Michelin Anakee Adventure. Novo pneu Michelin 80% estrada e 20% off road

-Informações e imagens: MotoMovimento-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *