Pierluigi quebra hegemonia de Lussiana

Após disputa emocionante, o argentino Diego Pierluigi, da JC Racing Team, quebrou a sequência de vitórias do francês Matthieu Lussiana, da BMW Motorrad Petronas Racing, assumindo a primeira colocação no pódio da GP 1000, principal categoria do Moto 1000 GP, neste domingo (28), no Autódromo Ayrton Sena, em Goiânia.

Em briga apertada, Pierluigi que havia pressionado o francês em outros momentos da competição, voltou a atacar nas duas últimas voltas e na abertura da última volta “roubou” o primeiro lugar. “Foi uma boa corrida, tanto a do Matthieu quanto a minha. Nós dois erramos em um algum momento da corrida, primeiro eu atrás dele e depois, ele errou na abertura da última volta. A corrida poderia ter sido vencida por qualquer um dos dois”, afirmou o vencedor do GP Michelin, na categoria GP 1000. Ele também afirmou estar feliz pela vitória, “Nunca havia passado tanto tempo sem ganhar uma corrida no campeonato, mas segui trabalhando duro junto com a equipe”.

Na segunda volta o argentino bateu o recorde na pista em 1min24s161. Esse mesmo recorde foi quebrado por Matthieu Lussiana na última volta quando tentava recuperar, em vão, a primeira posição. O francês fez o menor tempo em 1min23s968.

Vencedor da etapa goiana disputada em 2014 e das duas primeiras provas deste ano, Matthieu Lussiana afirmou não estar muito bem com a moto, mas feliz por ter terminado a corrida. “O importante é o campeonato. Infelizmente não me senti muito bem com a moto, não estava com um bom sentimento. Errei na abertura da última volta e quase consegui passar de novo”.

A terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade foi marcada também por forte disputa pelo terceiro lugar que ficou com o português Miguel Praia, da Center Moto Racing Team. Durante a prova, a posição foi disputada também pelos brasileiros Wesley Gutierrez, da Motonil Motors – PDV Brasil e Danilo Lewis, da Tecfil Racing Team.

Praia afirmou que considerou a corrida muito difícil fisicamente. “Não sabíamos muito bem qual seria o comportamento da nossa moto na segunda metade da corrida e não foi muito bom,” lamentou o português.

O piloto conta também que perdeu muito grip depois da sexta volta e não conseguiu virar em 1min24s e então passou a fazer tempos em 1min25s. “A partir daí apareceu o Gutierrez e depois o Lewis, mas conseguimos defender bem a posição. Fiquei um pouco desapontado porque não consegui manter o ritmo do Lussiana e o Pierluigi,” finalizou Miguel Praia.

GP 1000 Evo

Na classe Evo, o paulista Nick Iatauro, do Team Suzuki PRT, comemorou o primeiro lugar no pódio ao lado de Diego Pretel, da DRT e Alessandro Andrade, da Rupper’s Extra Power, que ficaram com o segundo e o terceiro lugares, respectivamente.

Satisfeito com seu desempenho, Iatauro afirmou que largou bem. “Mantive o mesmo ritmo de treino nas dez primeiras voltas”. O segundo no pódio da Evo, Diego Pretel disse estar completamente sem referência e sem preparo físico. “Estou com o ombro contundido e fiquei e perdi um pouco de parâmetro para correr”.

Já Alessandro Andrade que corre em Goiânia pelo Campeonato Goiano falou que estranhou a pista porque usa outra marca de pneu. “Isso muda o acerto da moto e eu jamais tinha corrido com pneu slick”, destacou o goiano ao garantir que está muito feliz e contente com o resultado.

GP 600

Eric Granado, da GST Honda Mobil Super Moto, comemorou mais uma vez o primeiro lugar no Moto 1000 GP, na categoria GP 600. Em prova disputada neste domingo (28) em Goiânia. Joelsu Silva, piloto da Paulinho Superbikes e Matheus Oliveira, da Tecfil Racing Team, ocuparam o segundo e terceiro lugar respectivamente.

Granado, que venceu as duas primeiras etapas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, fez também a volta mais rápida da corrida em 1min27s739. “Quero agradecer minha equipe. Em relação à prova, tive um problema com a tração na parte traseira da moto e não conseguir baixar de 1min27 alto”, afirmou o paulista.

GP 600 Evo

Na classe Evo, Marciano Santin, da Santin Racing venceu “Estou Satisfeito com o resultado, cheguei em quinto lugar na classificação geral competindo com esses pilotos de primeira linha,” afirmou ao garantir que já começa a pensar em administrar o campeonato a partir da próxima etapa.

“Vou animado para Campo Grande”, completou ele, sobre a próxima etapa. O segundo foi de Douglas Pecoraro, da Walmax Racing, com Pavanelli (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), em terceiro.

GP Light

Com ampla vantagem sobre os demais pilotos, o pole position Rafael Nunes, da Team Suzuki PRT, foi vencedor de ponta a ponta. “Deu tudo certo, fiz uma boa largada e consegui manter o ritmo da corrida”, disse o piloto. Nunes que continua líder do campeonato com 67 pontos atribuiu à vitória, em boa parte, ao trabalho de sua equipe.

O brasiliense Henrique Castro, da City Service BSB Motor Racing, não conseguiu acompanhar o ritmo de Nunes e terminou a corrida da terceira etapa do Moto 1000 GP, válida pelo Campeonato Brasileiro de Motovelocidade na mesma posição que largou, a segunda O terceiro lugar no pódio ficou para Marcelo Dahmer, piloto da K Racing que havia largado da nona posição.

A queda de Marcos Prata, piloto da Target Race Superbike Team, causou à interrupção da corrida. O piloto foi conduzido pelo médico do evento, Dr. Carlos Wahle, ao Hospital de Urgência de Goiás – HUGO. Ele estava clinicamente estável e consciente, com suspeitas de fratura de bacia.

GPR 250

Disputa intensa e inédita na GPR 250 fechou o domingo (28) de competições do GP Michelin, terceira etapa do Brasileiro de Motovelocidade, em Goiânia (GO). O líder Ton Kawakami, da Playstation-PRT, protagonizou uma disputa acirrada com a piloto Indy Munoz, da City Service BSB Motor Racing, estreante. Ela ficou em segundo e Guilherme Brito, da Team Estrella Galicia 0,0 Alex Barros, em terceiro.

“Os pilotos estavam caindo, o piso estava escorregando. Usei a cabeça e deixei tudo pra última volta”, contou Kawakami Munoz que largou em décimo bateu o recorde na pista com 1min48s517, superando a marca de 1min49s471, estabelecida por Herbert Pereira, equipe Motonil Motors-PDV Brasil, no ano passado. Já Guilherme Brito, da Team Estrella Galícia Racing, foi terceiro. O pole Brian David, pela Team Estrella Galícia Racing, caiu após se chocar com Meikon Kawakami, da Playstation-PRT< que também caiu e saiu da prova. -Imagens e informações: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *