Sertões

Com 363,85 km de trecho cronometrado (especial) e 585,30 km no total, a quarta etapa da 22ª edição do Rally dos Sertões, disputada nesta quarta-feira (dia 27), foi a maior e mais dura até aqui. Os competidores saíram de Paracatu rumo à cidade de São Francisco, ambas em Minas Gerais, e estreantes no percurso da competição. Foi um dia que lembrou as areias do deserto do Jalapão, alternando com piso duro e cascalho. Uma etapa que colocou equipamento, pilotos e navegadores à prova e foi marcada por abandonos e vários forfetes (os competidores não conseguiram terminar a especial dentro do tempo limite de 6h30min).

Nas motos, o português Paulo Gonçalves (Team Honda HRC), atual campeão do Sertões, faturou a quarta etapa do rali, com o tempo de 4h24min02s, superando o espanhol Marc Coma (KTM Red Bull Factory Team), que chegou em segundo na especial, mas segue na liderança geral (9h43min55s), com apenas 2min04 de vantagem para Gonçalves. Cada um venceu duas etapas até o momento.

O terceiro lugar no dia ficou com o português Helder Rodrigues (Team Honda HRC), seguido pelo brasileiro Jean Azevedo (Honda Mobil de Rally), que está em terceiro no acumulado, a 9min37s de Coma.

Trinta e seis, das 37 motos que iniciaram o rali, largaram na especial desta quarta-feira, mas algumas ficaram pelo caminho. Apenas 26 chegaram dentro do tempo limite.

“Hoje foi uma etapa bem grande e comecei andando bastante forte. No segundo setor, acabei cometendo um pequeno erro, perdendo um pouco de tempo. No final, consegui voltar forte, recuperar tempo e abrir um pouco do Marc (Coma). Agora estamos no meio do rali, vamos disputar os três dias que tem pela frente. Espero continuar competitivo e ver o final como vai ficar”, declarou Gonçalves, que já está se preparando para a etapa maratona que será realizada nesta quinta-feira (28), com chegada em Diamantina (MG), onde os competidores não poderão receber auxílio mecânico externo.

Leia também:
+ Apresentação do Rally dos Sertões
+ Português vence segunda etapa de motos
+ Marc Coma (KTM Red Bull Factory Team) vence terceira etapa

“Mais um bom dia. Uma especial grande, dura e muito boa. Tentei andar o mais rápido possível e acho que o segundo lugar foi um bom resultado para hoje”, destacou o espanhol Coma, campeão do Sertões em 2010 e atual líder do Mundial de Rally Cross Country da FIM.

Azevedo também comentou sobre a etapa e sua semelhança com o Jalapão. “Foi uma etapa muito rápida, praticamente só reta, com piso de areia, diferente do que estávamos pegando até agora. Particularmente não achei muito prazerosa, uma etapa que mede mais moto do que piloto. Faz parte do rali, mas ainda prefiro etapas mais técnicas, mais travadas. Espero que amanhã comece essa característica. Foi um dia parecido com o Jalapão, lá também é plano, rápido, com piso de areia. Talvez lá a areia seja mais pesada, mas foi uma etapa bem parecida”, comparou o pentacampeão do Sertões.

Quadriciclos

Na categoria quadriciclos, que teve 13 competidores na disputa, a rivalidade Brasil x Polônia só aumenta. O polonês Rafal Sonik (Sonik Team) chegou na frente na etapa, mas recebeu uma penalização de 16 minutos, que foram acrescentados ao seu tempo final (por não ter parado no abastecimento).

Vitória então do maranhense Marcelo Medeiros (Taguatur Racing), que assumiu a liderança no geral (10h56min32s), seguido pelo atual campeão Robert Nahas (RNN Sports), que “se estranhou” com Sonik na disputa do dia.

“Eu achei o trecho espetacular. Esse é o meu 11º Sertões e essa foi uma das especiais mais gostosas que eu fiz. Hoje eu não consegui zerar o problema com a estabilidade do quadri, mas melhorou muito. Consegui andar muito bem, mas como eu não andei bem ontem, peguei muita poeira, consegui passar alguns. O (Gabriel) Varela foi muito bom comigo. Eu já vinha na poeira dele e quando ele viu me deu passagem, mas na hora que chegou no Rafal Sonik, ele não me deixou passar de jeito nenhum. Só consegui passar quando ele deu uma bobeada na navegação e a hora que ele tirou a mão eu consegui passar”, relatou Nahas.

“Quando chegou no abastecimento ele entrou muito colado em mim. Então eu sai no limite do radar para não tomar penalização. Na hora que ele saiu do radar, ele enfiou a mão no acelerador e deu de lado no meu quadri, me jogou pro barranco. Ainda bem que não tinha nada pra bater. Depois ele veio me falar que foi sem querer, que pegou algum obstáculo e que acabou acelerando sem querer”, completou o piloto.

Sonik se defendeu: “Numa curva cega, eu sai um pouco da trilha e então senti alguma coisa me tocar pelo lado. Não cheguei a sair completamente, mas me jogou para fora. Foi uma sorte não ter sido um toque forte, então fiquei bastante assustado durante a etapa”, disse o polonês, que venceu o Sertões em 2010.

Longe da confusão, Medeiros disse que teve um dia tranquilo. “Uma etapa totalmente diferente de ontem, com muitas retas, mas com piso de areia. Foi tudo tranquilo nessa especial mais longa. Hoje vamos fazer uma revisão no quadri, como fazemos todos os dias e tentar fazer uma boa etapa amanhã”, completou o campeão de 2012.

UTV

Dos 21 UTVs que iniciaram a disputa da 22ª edição do Rally dos Sertões, 18 competiram na etapa desta quarta e só 12 não forfetaram. Pentacampeão nas motos, José Hélio Rodrigues e o navegador Edmilson de Camargo Jr. (Polaris Racing / Zé e os Caras 4×4) venceram a etapa, a segunda neste rali, com o tempo de 5h03min43s. Rodrigo Varela/João Arena (Divino Fogão Rally Team) ficou em segundo e Bruno Sperancini/Lourival Roldan (Casarini Can-AM) terminou em terceiro.

Com o resultado, Zé Hélio e Camargo assumiram a liderança no acumulado (11h12min18s), mas a diferença está apertada para os vice-líderes Varela e Arena, que estão a apenas 1min01s da dupla.

Denisio Casarini e Eduardo Shiga (Casarini Can-Am), que vinham entre os primeiros no geral da categoria, tiveram um dia difícil, com a quebra na manga de eixo no km 139 da especial. Eles forfetaram e caíram para 10º no geral.

“Hoje foi bom. Uma especial espetacular. Extremamente prazerosa, acho que o rali está nota 10. Esse novo formato de prova está me agradando muito. Ganhei a maior especial do Sertões neste ano, mesmo com alguns imprevistos no caminho. Minha estratégia hoje era colocar algum tempo na liderança para ficar mais tranquilo, mas não deu certo. Tive um pneu furado e perdi algum tempo, mas mesmo assim fico na liderança. Agora a estratégia muda e o rali só termina em Belo Horizonte. Me lembrou bastante o Jalapão, um piso com muita cara de Jalapão”, disse Zé Hélio.

Colado nos líderes, Varela prevê que a etapa maratona nesta quinta pode mudar todo o rali. “Hoje era uma especial longa e muito areião. Foi um dia difícil para quem corre de UTV porque muita gente teve problema de correia. Era um dia para poupar para entrar na maratona um pouco melhor. O resultado final não foi tão ruim. Ficamos em segundo, com o Zé Hélio abrindo um minuto de vantagem no geral. Amanhã e depois é que o rali vai dar uma bela reviravolta”, acredita.

Quinta Etapa

Nesta quinta-feira (28), os competidores do Rally dos Sertões disputam a “temida” etapa maratona. Ao final, eles não poderão receber auxílio mecânico externo, então todo o cuidado é pouco. Eles partem de São Francisco para Diamantina, em Minas Gerais, para um total de 645,44 km (223,57 km de deslocamento inicial, 335,98 km de especial e 85,89 km no deslocamento final).

Resultados

Motos – 4ª ETAPA
1. #1 Paulo Goncalves (Honda / Team Honda HRC) 04H24MIN02S
2. #2 Marc Coma (KTM / KTM Red Bull Factory Team) 04H25MIN17S
3. #4 Helder Rodrigues (Honda / Team Honda HRC) 04H30MIN51S
4. #5 Jean Azevedo (Honda / Honda Mobil De Rally) 04H31MIN20S
5. #3 Jordi Viladoms (KTM / KTM Red Bull Factory Team) 04H31MIN34S

Motos – Acumulado
1. #2 Marc Coma (KTM / KTM Red Bull Factory Team) 9h43min55s
2. #1 Paulo Goncalves (Honda / Team Honda HRC) 9h45min59s
3. #5 Jean Azevedo (Honda / Honda Mobil De Rally) 9h53min32s
4. #4 Helder Rodrigues (Honda / Team Honda HRC) 9h55min29s
5.#3 Jordi Viladoms (KTM / KTM Red Bull Factory Team) 9h58min15s

Quads – 4ª Etapa
1. #102 Marcelo Medeiros (Taguatur Racing) 04h59min45s
2. #100 Robert Nahas (Prototipo / RNN Sports) 05h03min39s
3. #101 Rafal Sonik (Honda / Sonik Team) 05h10min01s
4. #105 Gabriel Varela (Can-Am / Divino Fogao Rally Team) 05h20min55s
5. #106 ANDRE SUGUITA (BIKE BOX) 5h35min00s

Quads – Acumulado
1. #102 Marcelo Medeiros (Taguatur Racing) 10h56min32s
2º # 100 Robert Nahas (Prototipo / RNN Sports) 11h02min24s
3º #101 Rafal Sonik (Honda / Sonik Team) 11h10min34s
4º #105 Gabriel Varela (Can-Am / Divino Fogao Rally Team) 11h22min54s
5º #103 Tom Rosa (Yamaha / NC Rally Team) 12h05min36s

UTVs – 4ª Etapa
1. # 202 Jose Helio/Edmilson Camargo jr. (Polaris Racing) 05h03min43s
2. #203 Rodrigo Varela/Joao Henrique Arena (Can-Am / Divino Fogao Rally Team) 05h06min40s
3. # 201 Bruno Sperancini/Lourival Roldan (Casarini Can-Am) 5h12min10s
4. #213 Vinícius Mota/Rafael Shimuk (Taguatur Racing) 05h16min22s
5. #222 Andre Sawaya/Eduardo Costa (S2 Rally / Bike Box) 05h18min47s

UTVs – Acumulado
1. # 202 Jose Helio/Edmilson Camargo jr. (Polaris Racing) 11H12MIN18S
2. #203 Rodrigo Varela/Joao Henrique Arena (Can-Am / Divino Fogao Rally Team) 11h13min19s
3. #222 Andre Sawaya/Eduardo Costa (S2 Rally / Bike Box) 11h27min26s
4. #218 Henrique Gutierrez/ Weidner Moreira (Podium) 11h38min55s
5. #213 Vinícius Mota/Rafael Shimuk (Taguatur Racing) 11h55min34s

-Imagens e informações: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *