Teste Ducati Monster 797

São Paulo (SP) – Modelo de entrada da Ducati, a Monster 797 é moto inquieta que cobra pilotagem esportiva com giro alto no motor a todo momento. Atendida, a moto responde com muita agilidade nas mudanças rápidas de direção e retomadas inclusive em velocidades mais altas. Diversão garantida na condução urbana, rodoviária e nas curvas de serra como constatou MotoMovimento no teste da moto que custa R$ 42.900. Até o final deste mês está em promoção com bônus de R$ 3 mil, por R$ 39.900.

O motor é o mesmo que equipa a linha Scrambler da marca italiana, o Desmodue de 803 cm3 V2 refrigerado a ar com 2 válvulas por cilindro rende 76 cv a 8.250 rpm com torque máximo de 7,0 kgf.m a 5.750 rpm. 120 km/h a 5 mil giros. Na estrada, a 140 km/h e 6 mil giros a moto entra na confortável velocidade de cruzeiro. Para passear, os 120 Km/h seguem a tranquilos 4 mil giros do motor.

Na cidade, é preciso sempre atenção pois é muito fácil ultrapassar o limite de velocidade das ruas e avenidas. Para o anda e para do trânsito, o câmbio de seis marchas poderia ser mais preciso. O peso de 193 quilos em ordem de marcha também ajuda na pilotagem urbana acompanhando o banco baixo de 805 mm em relação ao solo.

A pedaleira centralizada, levemente recuada, do piloto oferece boa posição para as pernas com a tendência esportiva mais determinada pelo formato do banco que inclina o corpo um pouco para frente. Para uma posição mais ereta basta sentar mais próximo da ponta do banco junto ao tanque. Assim, boa posição para até 350 km de viagem somente interrompidos pelo tanque de 16,5 litros que proporciona autonomia de mais ou menos 310 quilômetros, observando-se média entre 18 a 20 quilômetros por litro de gasolina na condução mista – estrada e cidade – contabilizados na avaliação. A característica traseira curta dos modelos Monster, também encurta e prejudica o banco para o garupa que ainda tem pedaleiras altas e pernas bem dobradas.

Leia também:
+ Honda lança ADV 150 na Indonésia
+ Yamaha YZF-R1 e YZF-R1M 2020 lançadas nos EUA
+ Honda CRF 1000L Africa Twin 2020 com versão inédita Adventure Sports
+ Ducati confirma lançamento do modelo Panigale V4 S no segundo semestre
+ Crivilin vence quinta etapa do Brasileiro de Enduro FIM
+ MV Agusta Dragster RC Shining Gold. Edição limitada a uma unidade
+ BMW R 1250 GS chega em setembro
+ Teste. Royal Enfield Classic 500
+ Parceria KTM/Bajaj Auto para modelos urbanos elétricos
+ Yamaha lança scooter elétrico EC-05 para o mercado tailandês

A suspensão dianteira, sem ajustes, com bengalas Kayaba de 43 mm de diâmetro com um curso de roda de 125 mm poderia ser um pouco mais firme para mais esportividade. Na traseira, monochoque Sachs ajustável, com pré-carga de mola e extensão no lado esquerdo da motocicleta, conectada sem alavancagem progressiva para o quadro e garfo, vem com posição de fábrica (3) correta para atacar com segurança curvas de serra.

Nos freios, o dianteiro com dois discos de 320 mm de diâmetro com pinças radiais monobloco Brembo é mais do que o necessário para reduzir ou parar com segurança em quaisquer situações. Na roda traseira, disco simples de 245 mm também da Brembo.

O painel, simples e monocromático, de LCD mostra velocidade, RPM, hodômetros total e parciais 1 e 2, temperatura do óleo do motor, relógio. Falta marcador de combustível. Sem ele, os modelos sem essa informações apenas acendem uma indicação no painel quando entra na reserva calculando em quilômetros quanto falta para acabar a gasolina sem reabastecimento. No item comodidade, a moto tem uma tomada USB sob o banco e luz de LED de estacionamento dianteira e traseira. A garantia é de 12 meses com intervalos de manutenção também de um ano.

Ficha técnica

Motor
L- Twin 2 válvulas com atuação desmodrômica por cilindro, refrigerado a ar
Cilindrada: 803 cc
Diâmetro X Curso potência: 88 mmx 66 mm
Torque: 68,9 Nm / 5.750 rpm
Potência: 75 cv a 8.250 rpm
Injeção de combustível: Sistema de injeção eletrônica, corpo de aceleração 50mm

Transmissão
Câmbio: 6 velocidades
Relação Final: corrente, pinhão frontal Z15, pinhão traseiro Z46
Embreagem: Multiplaca úmida APCI com controle mecânico

Chassi
Quadro: treliça de aço tubular
Suspensão dianteira: garfos Kayaba 43 mm USD
Suspensão traseira: monoshock Sachs com ajuste de pré-carga
Roda dianteira: 10 raios, liga leve 3,50” X 17”
Roda Traseira: 10 raios, liga leve, 5,50” X 17”
Pneu dianteiro: Pirelli Diablo Rosso II 120 / 70 ZR 17
Pneu Traseiro: Pirelli Diablo Rosso II 180 / 50 ZR 17

Dimensões
Peso seco: 175 Kg
Peso em ordem de marcha: 193 Kg
Altura do banco: 805 mm
Distância entre eixos: 1.435 mm

-Informações e imagens: divulgação-

2 comentários em “Teste Ducati Monster 797

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *