Teste Kawasaki Z900 RS

São Paulo (SP) – A Kawasaki Z900 RS é uma moto que resgata o prazer de pilotar. Tem ao mesmo tempo condução suave, com boa dose de potência linear e retomadas com vigor. Releitura da Z1 dos anos 70 – inclusive com a icônica cor Candytone Brown da época -, oferece conforto e segurança com banco firme e baixo (800 mm do chão), guidão largo e embreagem deslizante que evita o travamento da roda traseira nas reduções bruscas de marcha, como foi verificado na avaliação de MotoMovimento. No momento, tem preço público sugerido de R$ 48.990, sem frete.

O motor tem 4 cilindros em linha, duplo comando no cabeçote (DOHC) com 16 válvulas e 948 cm³ que gera 9,7 kgf.m de torque aos 6.500 rpm e 109 cv de potência a 8500 rpm. a primeira marcha com escalonamento curto, as arrancadas no trânsito da cidade precisam de atenção para controlar o modelo com seus 215 quilos de peso já com todos os fluídos.

Na outra ponta, a sexta marcha ficou mais longa, o que deixa o modelo elástico nas viagens acompanhado do som esportivamente grave e instigante do escapamento. Na estrada, o propulsor segue tranquilo aos 120 km/h aos 4,5 mil giros. O consumo variou entre 15,5 e 17,3 km/l, com uso na estrada e na cidade, ou autonomia média de 270 km.

Leia também:
+ Recall BMW para G 310R e G 310S
+ Yamaha MT-03 modelo 2020 apresentada na Europa
+ Recall Ninja 400
+ Honda CB 250F Twister 2020 somente com novas cores
+ Kawasaki abre nova concessionária no Recife
+ Honda lança, na Europa, novas Africa Twin 1100
+ Kawasaki lança a versão Standard da Ninja ZX-10R

As suspensões direcionam para a esportividade. Garfo invertido na dianteira com tubos de 41 mm de diâmetro com 10 ajustes de compressão e 12 de retorno. Na traseira, amortecedor único com link com ajuste de pré-carga de mola. Com essas configurações, a moto mais dura ou esportiva segue firme nos trilhos nas curvas de serra.

O painel tem dois canecos analógicos com velocímetro e conta-giros e uma telinha de LED de display negativo que mostra indicador de marcha, um hodômetro total, dois parciais, medidor de combustível, autonomia restante, consumo de combustível instantâneo e médio, temperatura do líquido de arrefecimento, temperatura externa, relógio e indicador de pilotagem econômica.

Ficha Técnica

Dimensões
Comprimento total: 2.100 mm
Largura total: 865 mm
Altura total: 1.150 mm
Distância entre eixos: 1.470 mm
Altura do solo: 130 mm
Altura do assento: 800 mm
Peso (ordem de marcha): 215 kg
Capacidade do tanque: 17 litros

Performance
Potência máxima: 80.0 kW {109 cv} / 8,500 min-1
Torque máximo: 95.0 N.m {9.7 kgƒ.m} / 6,500 min-1

Motor
4 cilindros DOHC
Diâmetro x curso: 73,4 x 56,0 mm
Deslocamento: 948 cm3
Taxa de compressão: 10,8:1
Alimentação: injeção eletrônica (4x 36 mm)

Transmissão
Transmissão final: corrente
Número de marchas: 6 velocidades
Relação de marcha:
1ª – 2,917 (35/12)
2ª – 2,059 (35/17)
3ª – 1,650 (33/20)
4ª – 1,409 (31/22)
5ª – 1,222 (33/27)
6ª – 0,967 (29/30)

Chassi
Tipo: treliça em aço de alta resistência
Suspensão dianteira: Garfo telescópico upside-down regulável (pré-carga de mola, 10 ajustes de compressão e 12 de retorno)
Suspensão traseira: monoamortecida com link, regulável (retorno e pré-carga de mola)
Curso: Dianteira 120 mm
Curso: Traseira 140 mm
Cáster: 25°
Trail: 98 mm
Ângulo de esterçamento (esq./dir.): 35°/35°

Pneus e freios
Pneu: Dianteiro 120/70ZR17 M/C (58W)
Pneu: Traseiro 180/55ZR17 M/C (73W)
Freio dianteiro: 2 discos de 300 mm (diâmetro efetivo: 267 mm), pinças monobloco de montagem radial com 4 pistões
Freio traseiro: 1 disco de 250 mm (diâmetro efetivo: 216 mm) pinça de 2 pistões

-Informações e imagens: MotoMovimento

3 comentários em “Teste Kawasaki Z900 RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *