Teste Royal Enfied Meteor 350

São Paulo (SP) – A indiana Royal Enfied Meteor 350, moto estilo custom com projeto simples e preço justo, é, no momento, o melhor custo/benefício no mercado brasileiro de média cilindrada. Lançadas no Brasil em agosto, as três versões em oito cores diferentes já aumentaram em R$ 1 mil o preço na loja, mas continuam atraentes para quem deseja um moto tipo estradeira de média cilindrada.

A versão de entrada, Fireball, está disponível nas cores amarela e vermelha, com motor e detalhes em preto e pintura das rodas na mesma cor do tanque de combustível, por R$ 18.990. A Stellar, com opções no azul, vermelho e preto fosco, emblema cromado da marca no tanque e escapamento cromado custa R$ 19.490. Já a top de linha Supernova, com opções de cores duplas brilhantes entre marrom e preto ou azul e preto sai por R$ 19.990, todas sem frete.

A moto tem motor monocilíndrico de 349 cm³ com comando único no cabeçote, curso longo, injeção eletrônica e refrigerado a água e óleo. Entrega 20 cv de potência a 6.100 rpm e 2,7 kgf.m de torque em 4.000 rpm e atende as normas de emissões Euro6 e BS6. O motor esquenta um pouco as pernas na cidade e na estrada. Também vibra na velocidade acima de 100 km/h nas pedaleiras e guidão, mas não chega a atrapalhar a visão dos espelhos retrovisores.

Já o consumo médio com utilização em ambiente urbano e rodovias, no teste de MotoMovimento, marcou 29 km/l, abaixo dos cerca de 34 km/l prometidos pela montadora. A velocidade é limitada a 120 km/h o que não é problema para a proposta da moto já que acompanha os limites de velocidade máximos nas principais rodovias brasileiras e oferece ultrapassagens seguras na condução defensiva.

O câmbio de cinco marchas tem relações longas bem escalonadas e o acionamento conta com contra-pedal, para subir marchas com o calcanhar do pé esquerdo. O sistema diverte subindo rapidamente as marchas já que tem manete de embreagem curto e troca bem sincronizada no calcanhar. Mas precisa de atenção para não pisar no contra-pedal subindo marcha sem querer. Do outro lado das pedaleiras, na direita, com a ponta do pé no freio, o calcanhar apoia no escapamento logo abaixo o que deixa manchas de borracha no cano quente.

Leia também
+ Royal Enfield Interceptor 650 Twin e Continental GT 650 2022: novas cores
+ MV Agusta F3 RR 2022 com nova aerodinâmica para pistas
+ Kawasaki amplia categoria de motocicletas retrô com o lançamento da Z650RS
+ Mais barata do mercado, Shineray começa a vender, em outubro, a SH 125 Worker, por R$ 7.290
+ Motos Honda de baixa cilindrada: as mais roubadas ou furtadas em SP
+ Salão Moto Brasil confirmado para maio de 2022

O modelo deixa de lado os polêmicos raios e tem rodas de liga leve aro 19 na frente e 17 atrás com pneus sem câmara nas medidas 100/90 na dianteira e 140/70 na traseira. O conjunto é ágil nas mudanças de direção, vai bem nos corredores entre os carros mas não chega a ter a dinâmica leve de um modelo urbano de baixa cilindrada. E mesmo na proposta é custom, os freios a disco são bem dimensionados e contam com ABS de dois canais.

O painel tem mostradores analógicos com design circular e o sistema de navegação Tripper, que funciona via smartphone conectado ao Google Maps e controlado via bluetooth pelo aplicativo da Royal Enfield. Indica as direções por meio de pequenas setas no mostrador. Funciona bem. O conjunto conta ainda com uma porta de carregamento USB adicional próximo ao punho esquerdo para o celular.

Mercado

No mercado brasileiro desde 2017, a operação da Royal Enfield, definida pela marca como fornecedora de modelos robustos com preços competitivos, já domina a categoria Custom da seção de Motocicletas da pesquisa mensal de emplacamentos da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Na última edição da análise de mercado da Federação, a Meteor 350 está em primeiro lugar no ranking e acumula 1.330 emplacamentos no acumulado de janeiro a setembro de 2021, o que representa 22,25% do mercado desse tipo de motocicletas. A montadora indiana ainda tem, na categoria, o segundo lugar com o modelo Interceptor 650, além do quarto e o quinto lugares com os modelos Continental GT e Classic, respectivamente.

Ficha técnica

Motor

Monocilíndrico, 4 tempos, comando de válvulas simples no cabeçote, arrefecido a ar/óleo
Cilindrada: 349 cm³
Combustível: gasolina
Potência Máxima: 20,2 cv a 6.100 rpm
Torque Máximo: 2,75 kgf.m a 4.000 rpm
Transmissão: 5 velocidades
Injeção: eletrônica
Partida: elétrica

Chassi e suspensões

Chassi: tubo de aço, berço duplo
Suspensão dianteira: telescópica, 130 mm de curso
Suspensão traseira: duas molas ajustáveis em seis posições

Dimensões

Peso seco: 191 kg
Comprimento: 2.140 mm
Largura: 845 mm (sem retrovisores)
Altura: 1.140 mm (sem retrovisores) / 1.310 mm com bolha
Altura do Banco: 765 mm
Distância entre Eixos: 1.400 mm
Capacidade do tanque: 15 litros

Pneus e freios

Pneu Dianteiro: 100/90 – aro 19, roda de liga leve sem câmara
Pneu Traseiro: 140/70 – aro 17, roda de liga leve sem câmara
Freio dianteiro: disco de 300 mm com pinça flutuante de pistão duplo
Freio traseiro: disco de 270 mm com pinça flutuante de pistão único

-Informações e imagens: MotoMovimento-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *