Teste: Yamaha XTZ 250 Lander ABS

São Paulo (SP) – Substituta da Ténéré 250, a Yamaha XTZ 250 Lander ABS tem banco mais rígido e confortável além de muita agilidade em mudanças rápidas de direção. Os dois atributos refletem exatamente o que a montadora japonesa projetou para apresentar o novo modelo – uma nova geração da Yamaha Lander -, agora mais voltado para o ambiente urbano com opção para off road em estradas bem conservadas de terra, como constatou o teste de MotoMovimento.

Na cidade, a posição ereta e relaxada também contribui para o conforto. A suspensão de 204mm de curso com ajuste de pré-carga da mola na balança traseira tipo monocross ajuda a superar obstáculos, principalmente pequenos buracos, se estiver mais mole ou nas primeiras posições. As suspensões são o ponto forte das trail no movimento urbano. O mesmo vale para estradas de terra, em ambos os casos, sem garupa, para não ultrapassar os 157 kg de capacidade de carga do modelo e distorcer o comportamento das suspensões. Tanto na cidade quanto na terra, boa aderência dos pneus Metzeler Tourance 80/90R21 na frente, e 120/80R18 atrás.

Na estrada, a posição cinco da pré-carga deixa o comportamento da moto mais rígido acompanhando a suspensão dianteira de 220 mm de curso. Com isso, o conjunto fica mais firme nas curvas e aceleração mais alta e retomadas. Com velocidade final de cerca de 145 km, aos 120 km/h, a vibração começa a incomodar em dois pontos: nos dois manetes e nos espelhos retrovisores que “borram” demais as imagens refletidas. Isso é um problema para a segurança. Nas viagens, vale manter a velocidade de cruzeiro de cerca de 110 km para fazer render o consumo médio de 31,2 km/l para cidade e rodovias já que a capacidade do tanque é de até 13,6 litros de gasolina ou etanol (4.1 litros de reserva).

O motor monocilíndrico de quatro tempos, flex, com injeção eletrônica, refrigerado a ar, tem 249,5 cm³ que gera 20,7 cv (gasolina) e 20,9 cv (etanol) a 8.000 rpm, e 2,1 kgfm (gasolina ou etanol) a 6.500 rpm. Na pilotagem em qualquer terreno, bom torque para os modelos do segmento em câmbio de cinco velocidades e trocas de marcha precisas.

Na nova vocação urbana da Lander, o ABS não pode ser desligado em um sistema de freios dianteiro com o ABS e disco de 245 mm de diâmetro e traseiro com disco de 203 mm de diâmetro. São calibrados para o modelo de média cilindrada cumprindo o papel de segurar a moto sem sustos ou instabilidades. Nas dimensões, ainda no uso urbano, no anda e para do trânsito das cidades, a altura do banco de 875 mm em relação ao solo dificulta um pouco a vida de pilotos mais baixos em manter o equilíbrio nas paradas.

Leia também:
+ KTM inaugura museu próprio na Áustria
+ Husqvarna linha 2019 com 6 modelos de R$ R$ 64 a R$ 75 mil
+ BMW chama recall para C 600 Sport e C 650 GT
+ Automec, feira de reposição de peças, tem lançamento de lâmpada LED para motos pequenas
+ Abraciclo vê mercado 2019 em alta, mas no mesmo patamar de 2004
+ Teste: Harley-Davidson Street Glide Special 2019
+ Estudo mostra intensidade de furtos e roubos de moto em SP
+ MXF Motors lança novo modelo de minimoto de 105 cilindradas para competições

O painel bem localizado, que evita reflexos, é 100% digital e tem indicadores de consumo médio, consumo instantâneo, velocímetro, hodômetro total e dois parciais (Trip-1 e Trip-2) e “Fuel Trip” que indica a quilometragem rodada na reserva; relógio além luzes indicadoras de piscas, farol alto, neutro e alerta de motor e do sistema Blueflex. Atualmente, o preço sugerido pela montadora é de R$ 16.990 + frete de R$ 896 nas cores azul, branca e preta.

Ficha Técnica

Motor

Tipo 4 tempos, SOHC, refrigeração a ar, 2 válvulas
Quantidade de cilindros: 1
Capacidade cúbica: 249,5 cm³
Diâmetro x Curso: 74 x 58 mm
Taxa de compressão: 9,8 : 1
Potência máxima: 20,7 cv a 8000 rpm (Gasolina) – 20,9 cv (Etanol)
Torque máximo: 2,1 kgfm a 6500 rpm (Gasolina e Etanol)
Sistema de lubrificação: Cárter úmido
Alimentação: Injeção Eletrônica Blueflex (bicombustível)
Embreagem: Multidisco, úmida
Câmbio: 5 velocidades
Sistema de ignição: TCI
Sistema de partida: Elétrica
Transmissão primária: Engrenagens
Transmissão secundária: Corrente / coroa de 40 dentes e pinhão de 13
Combustível: Gasolina / Etanol
Bateria: 12V x 6Ah

Chassi

Tipo do Chassi: Berço semi duplo em tubos de aço
Suspensão dianteira/Curso: Garfo telescópico 41 mm de diâmetro/220 mm
Suspensão traseira/Curso: Monocross com link/204 mm
Freio dianteiro: Disco de 245 mm de diâmetro com ABS
Freio traseiro: Disco de 203 mm de diâmetro
Pneu dianteiro: Metzeler Tourance 80/90 – 21M/C 48S
Pneu traseiro: Metzeler Tourance 120/80 – 18 M/C 62S

Dimensões

Comprimento x Largura x Altura: 2.150 X 815 X 1.210 mm
Distância entre eixos: 1.385 mm
Altura do assento: 875 mm
Altura mínima do solo: 70 mm
Trail: 103 mm
Cáster: 26,8º
Peso seco: 143 kg
Capacidade do óleo do motor: 1,55 litros
Capacidade do tanque de combustível: 13,6 litros (4,1 litros reserva)
Cores: Competition Blue (Azul) / Black Eclipse (Preto) / Sports White (Branco)

-Informações e imagens: MotoMovimento-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *