Victory Racing classifica na TT Zero

A norte-americana Victory Racing classificou suas duas motos na primeira etapa de modelos elétricos da disputa deste ano da Ilha de Man. As duas unidades da marca na prova TT Zero, pilotadas por William Dunlop e Lee Johnston, participam pela primeira vez da competição. Seis montadoras participaram da classificação, na última sexta-feira (6/06). Apenas uma terceira competidora, a Team Mugen completou o percurso dentro das exigências da competição. As outras três não conseguiram. A prova oficial acontece na próxima quarta-feira, dia 10.

A classificação do TT Zero deste ano exigiu que os modelos em disputa percorressem os 60,75 km nas estradas públicas da Ilha, em uma média superior a 100 milhas por hora. Dunlop e Johnston obtiveram média de 104,185 mph (167,66 km/h) e 105,185 mph (169,27 km/h) respectivamente. Com isso, ficaram em segundo e o terceiro lugares na pré-corrida.

Em primeiro lugar na classificação dos seis ficou John McGuinness, da Team Mugen, que marcou média de 113.06 mph (181.95 km/h). A marca, no entanto, foi menor do que a própria Mugen conseguiu no ano passado quando chegou a 117,36 mph (188.87 km/h).

De acordo com a Victory Racing, a moto da competição possue duas baterias instaladas uma sobre a outra que fazem parte da estrutura do modelo. Como a distância a ser percorrida é de mais de 60 km, a alimentação elétrica recebeu carga adicional com a instalação de módulos extras, denominados boosters. As baterias são fixadas diretamente no quadro de alumínio. As motos contam ainda com amortecedor Ohlins e o motor é da marca Parker, o GVM, que oferece 165 cv para um peso total de 220kg da moto.

Leia também:
+ Honda Mugen Shinden Yon
+ Bultaco retorna com dois modelos elétricos
+ Polaris desenvolve cruiser elétrica
+ Harley propõe modelo elétrico

O painel de instrumentos é da marca MoTech ADL3 que registra todas as informação do sistema elétrico. As motos estão ainda equipadas com freios regenerativos reguláveis. Com isso, cada piloto pode adequar a entrega da potência regenerada de acordo com o seu estilo de pilotagem. Lee, por exemplo, segundo a montadora, prefere regular o dispositivo para obter uma maior retenção, o que o ajuda a entrar melhor nas curvas.

O diretor técnico da Victory Racing, Brian Wismann, responsável de desenvolvimento da marca Brammo, recentemente adquirida pela Victory, por sua vez controlada pela Polaris, comemorou o feito das duas motos da marca. “Estamos realmente felizes com este desempenho nesta nossa primeira participação. Ambos os pilotos conseguiram voltas limpas com uma média superior às 100 mph. A confiabilidade destas motos tem sido muito importante. Revelaram muito poucos problemas técnicos e acredito que isso é a chave para transformar os resultados destes treinos em resultados de prova onde são realmente importantes”, disse.

-Imagens: divulgação-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *